Acessos de telecom recuam 2,8% em 12 meses até setembro de 2019

Um balanço dos acessos do setor de telecomunicações no Brasil até o fim do terceiro trimestre de 2019 revelou um recuo de 2,8% no número de clientes em 12 meses, quando considerados os quatro segmentos de consumo (telefonia móvel e fixa, banda larga e TV paga).

Dessa forma, o País encerrou setembro passado com 311,93 milhões de acessos de telecom contra cerca de 321,1 milhões um ano antes. Na prática, quase 10 milhões de conexões foram perdidas entre setembro de 2018 e setembro de 2019.

Notícias relacionadas

Do apurado ao fim do terceiro trimestre do ano passado, a maior parte está relacionada com a telefonia móvel: eram 228,16 milhões de chips ativos até o nono mês de 2019. No total, houve saldo negativo 6,1 milhões de linhas (menos 2,6%) em 12 meses. Os grandes grupos (ou os que detêm ao menos 5% do mercado) perderam 6,2 milhões de acessos, enquanto as prestadoras de pequeno porte compensaram com 106,3 mil adições.

Até setembro, 53,3% dos celulares eram pré-pagos e 46,7%, pós-pagos. Neste caso, há uma tendência de alta da categoria pós-paga, que alcançou 106 milhões de acessos; considerando que os dados dos últimos três meses do ano passado ainda não estão consolidados, a diferença entre as duas categorias deve ter sido ainda menor ao fim de 2019.

Já entre as tecnologias móveis, a 4G foi a única a apresentar crescimento no número de linhas, com 149,2 milhões de acessos em setembro, ou 19,8% a mais se comparado com o mesmo período de 2018.

No caso da telefonia fixa, a redução dos acessos em 12 meses alcançou 3,3 milhões, para 34,78 milhões de linhas ativas em setembro passado. A queda foi mais acentuada nos acessos das concessionárias, que tiveram redução de 10,9% nos acessos, enquanto as autorizações tiveram uma redução de 6% no mesmo período.

Também houve redução na TV paga. O serviço perdeu 1,6 milhão de clientes (queda de 9,1%) em 12 meses até setembro de 2019, ficando com 16,2 milhões de acessos contra 17,8 milhões no mesmo período de 2018. Até o fim do terceiro trimestre, 52,3% dos acessos eram amparados pela tecnologia DTH.

Banda larga fixa

A principal notícia positiva do balanço da Anatel foi o aumento de 2 milhões de contratos em 12 meses no mercado de banda larga fixa. Dessa forma, o serviço foi o único que cresceu até o mês de setembro, somando 32,9 milhões de clientes, em crescimento de 6,5%.

A Anatel ainda destacou o "crescimento significativo" da tecnologia de fibra ótica, que saiu de 16,8% do total de contratos do serviço em setembro de 2018 para 27,7% no mesmo mês de 2019. O cabo metálico foi responsável por 34,4% e o cabo coaxial, por 29,3%. Até o nono mês de 2019, a densidade da banda larga fixa era de 47,30 a cada 100 domicílios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.