V.tal é a nova marca da InfraCo, rede neutra da Oi

Rodrigo Abreu, CEO da Oi, e Pedro Arakawa, CCO da V.tal

A empresa de infraestrutura da Oi e do BTG, que até aqui vinha sendo chamada de InfraCo, já tem nome: V.tal (pronuncia-se Vital). A nova marca e os primeiros planos de negócio foram anunciados nesta quinta, dia 5, pelo CEO da Oi, Rodrigo Abreu, e pelo CCO (diretor comercial) da V.tal, Pedro Arakawa. O CEO da empresa será apontado apenas após a aprovação regulatória e anuência para a compra do controle da empresa pelo BTG.

O foco da empresa é em atuar como uma empresa de infraestrutura ("a maior do Brasil", segundo Rodrigo Abreu) e rede neutra completamente independente da Oi. Ela já opera em negócios de atacado e rede neutra de forma independente da operadora, tem uma razão social própria (Brasil Telecom Comunicação Multimídia Ltda – BTCM) e terá um Comitê de Neutralidade garantindo processos de governança, área de negócios própria e sede em São Paulo.

O Comitê de Neutralidade, na primeira fase até a aprovação da Anatel, funcionará por meio da restrição da participação de executivos da Oi em questões comerciais da V.tal que possam representar conflito concorrencial. Depois da aprovação, o Comitê passará a ser composto pela estrutura de executivos independentes da própria V.tal e por integrantes independentes ainda a serem selecionados e indicados, mas serão executivos com conhecimento de mercado e independência em relação a qualquer operadora.

Notícias relacionadas

Hoje a empresa nasce com 400 mil km de redes de fibra, que chegam a 2,3 mil cidades e 12 milhões de casas passadas. A previsão é ampliar a capilaridade para 32 milhões de casas passadas, e a ampliação da capilaridade FTTH para todos os 2,3 mil municípios hoje alcançadas pela infraestrutura de fibra. O investimento para isso é estimado em R$ 30 bilhões.

No portfólio de produtos a V.tal terá serviços de FTTH  fim-a-fim para ISPs (redes até a casa, incluindo instalação e operação da rede), FTTP (fibra até o edifício ou poste, com instalação a ser feita pelo provedor e com precificação menor do que o serviço do FTTH) e ainda produtos no atacado, como fibra para torres, backhaul e link dedicado, além de collocation e fibra apagada. Também estão sendo desenhados produtos para provedores de 5G e IoT, segundo Arakawa.

Abreu disse que a Oi, como qualquer cliente âncora da V.tal, poderá ter acordos de exclusividade temporários da rede a depender das condições contratadas, mas destacou que a V.tal poderá explorar essas redes ao fim desse período, que o executivo alegou ser "breve". O modelo de negócios da rede neutra, segundo o executivo, é de uma mensalidade que será cobrada do provedor por casa conectada, variando dependendo do tipo de serviços prestados.

Abreu fez questão de destacar que a nova empresa não leva nenhuma obrigação regulatória da Oi, e que as novas obrigações que a Oi possa vir a ter que atender, por exemplo, com o PGMU, podem ser atendidos utilizando rede da V.tal, mas não obrigatoriamente.

10 COMENTÁRIOS

  1. INSTALEI A ESSA TAL OI NO PASSADO FAZ UNS 2 ANOS FIBRA E Ñ GOSTEI… DAÍ INSTALEI OUTRA … MAS ESSA TMB Ñ FUNCIONOU VOLTEI A INSTALAR A OI P FAZER UM TESTE … DAÍ GOSTEI ESTÃO FAZENDO UM BOM SERVIÇO NA OI… TÁ BEM MELHOR… RECOMENDO MINHA REGIÃO É AGUAS LINDAS ESTADO D GOIÁS… VLW OI OBRIGADO.

  2. Gostaria de fazer parte do quadro técnico desta empresa para aprender e doar conhecimentos . Estou na região norte em Roraima .23 anos na área de telecom e a disposição

Deixe um comentário para Edy Carlos leite 95 981205136 Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!