Banda larga via fibra soma 1,6 milhão de novos acessos no primeiro semestre

As estatísticas do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) compiladas pela Anatel em junho indicaram uma retração na base de assinantes inédita em 2019: foram contabilizados 196 mil contratos a menos que maio, totalizando 31,685 milhões de usuários de banda larga fixa. Mesmo com o resultado negativo, ao longo dos seis primeiros meses do ano houve adição líquida de 452,5 mil novos clientes. No caso do serviço prestado via fibra ótica, o saldo positivo chega a 1,6 milhão de acessos.

Maior contribuinte para este resultado, o segmento dos provedores regionais de Internet (ou ISPs) registrou 732,2 mil adições líquidas entre janeiro e junho, quando contadas todas as tecnologias. No sexto mês do ano, contudo, o agrupamento de empresas contabilizou 128 mil contratos a menos, encerrando o mês com 7,166 milhões de clientes – ou 22,6% do market share doméstico.

Questionada sobre a movimentação fora da curva no total de acessos e entre os ISPs em junho, a Anatel pontuou que 506 empresas não declararam o número de acessos de banda larga fixa no mês; segundo a agência, a subnotificação média mensal das estatísticas de SCM ronda as 300 empresas.

De toda forma, a líder de mercado segue sendo a América Móvil (Claro, Net e Embratel), com 9,530 milhões de clientes e 30% de participação de mercado. Em junho, as adições líquidas do grupo somaram 14,5 mil, enquanto no acumulado de seis meses, os dados apontam para 169,2 mil novos usuários.

Ainda vice-líder no mercado apesar da expansão dos ISPs, a Telefônica aparece com 7,386 milhões de acessos após 38,9 mil desconexões em junho. No primeiro semestre, a queda chega em 193 mil contratos (já o share ficou em 23,2%). No período, só a Oi desconectou mais clientes: 239,3 mil, sendo 36,4 mil no sexto mês do ano. A empresa soma 5,745 milhões de acessos e participação de mercado de 18,1%.

Quem também perdeu clientes foi a Sky, em sua operação baseada em LTE na faixa de 2,5 GHz: foram 15,8 mil desconexões em junho e 75,6 mil ao longo dos seis primeiros meses do ano (para 280 mil). Já a TIM seguiu direção contrária, adicionando 4,7 mil clientes em junho e 39,6 mil ao longo do primeiro semestre, para 524 mil.

Tecnologias

Grande destaque no mercado de banda larga fixa, a tecnologia de fibra até a residência (FTTH) somou 157,6 mil novos contratos apenas em junho. No geral, eles já totalizam 7,261 milhões (ou 22,9% do parque brasileiro). Vale notar que ao fim de 2018, cerca de 5,5 milhões de residências tinham a opção contratada – o que representa adição de 1,6 milhão de acessos em seis meses. Recentemente, Oi e Claro Brasil revelaram estratégias de ampliação da infraestrutura de fibra para aproveitar a explosão na demanda pela tecnologia.

Por outro lado, o serviço via redes de cobre (xDSL) perdeu 167 mil clientes em junho e cerca de 1,1 milhão no primeiro semestre. Ainda assim, a tecnologia segue como principal meio de acesso do País, habilitando 11,109 milhões de conexões de banda larga fixa. Já os acessos por cabo somam 9,558 milhões após perda de 3 mil em junho e cerca de 130 mil no ano.

Velocidades

consolidada como principal nível de serviço em residências do Brasil, a banda larga fixa com velocidades acima de 34 Mbps adicionou 409 mil novos acessos em junho, totalizando 10,530 milhões. Em seis meses, a faixa ganhou 2,394 milhões de clientes. Já os pacotes com velocidades entre 2 Mbps e 12 Mbps (a faixa mais popular do País até março) foram trocados em mais de 1 milhão de residências, ainda que 8,845 milhões de lares ainda contem com o serviço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.