Telefónica oferece R$ 20,1 bilhões pela GVT

E os rumores se confirmaram. A Telefónica oficializou nesta terça-feira, 5, uma oferta de R$ 20,1 bilhões pela GVT, controlada pelo conglomerado francês Vivendi. A transação prevê o pagamento de R$ 11,962 bilhões em dinheiro e uma participação de 12% para a Vivendi das ações de emissão da nova companhia resultante da combinação entre as operações da Telefônica/Vivo e GVT. Pelos cálculos da espanhola, isso daria um valor de mercado de R$ 20,1 bilhões, ou 6,7 bilhões de euros, tomando como base o atual valor de mercado da Telefônica Brasil S/A.

Notícias relacionadas

A compra da GVT deve ser financiada por meio de aumento de capital tanto da subsidiária brasileira quanto da holding espanhola.

A Telefónica dá ainda à Vivendi a opção de compra de 8,3% das ações de controle da Telecom Italia, diretamente ou por meio de papéis conversíveis em ações, e que seriam transferidos para a francesa na data de fechamento da transação entre as empresas. Essa participação está dentro da estimativa de 8,3% a 9% que restaria à Telefónica na Telecom Italia após a conversão da emissão de bonds conversíves em ações da Telecom Italia de 750 milhões de euros em julho de 2017.

A oferta tem validade até o dia 3 de setembro, podendo ter seu prazo estendido pela Telefónica, e a transação dependerá ainda das aprovações regulatórias e de concorrência de praxe.

Não está à venda

Em comunicado também nesta terça, a Vivendi informou o mercado do recebimento da proposta da Telefónica, mas fez questão de enfatizar que "nenhuma das suas subsidiárias está à venda" e que "sua estratégia é criar um grupo industrial focado no crescimento orgânico de suas atividades e dar suporte ao seu desenvolvimento". Ainda assim, o board supervisor da Vivendi considerará a oferta da Telefónica em sua próxima reunião, levando em consideração "o melhor interesse dos seus acionistas e dos empregados da GVT" para chegar a uma decisão.

Quando a Vivendi colocou a GVT à venda no ano passado, pedia um valor de, no mínimo, 7 bilhões de euros. É possível que a Vivendi já tenha revisado esse mínimo para cima, ainda mais se considerarmos que a Telecom Italia poderia também estar preparando uma oferta pela GVT.

Segundo apurou este noticiário, a oferta da Telefônica pela GVT atropelou algumas outras conversas em andamento. A principal era com a TIM, mas também havia conversas, segundo fontes de mercado, entre a GVT e a Sky para uma fusão das operações. Ainda não se sabe como ficarão estas conversas com a oferta da Telefônica na mesa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.