TIM lança 5G em Brasília na quarta-feira com 50% da população coberta

Alberto Griselli, presidente da TIM. Foto: Divulgação

A TIM anunciou nesta terça, 5, a sua estratégia comercial para o serviço de 5G, que será lançado pela operadora em Brasília (primeira cidade liberada pela Anatel) a partir da meia noite do dia 6. A operadora optou por um modelo que contempla o acesso à rede 5G a todos os clientes, mas com a possibilidade de um plano adicional para algumas experiências específicas. A conexão na quinta geração se dará aos atuais usuários de planos 4G sem ônus, e o plano adicional, chamado de "booster", será gratuito por 12 meses para quem contratá-lo dentro dos próximos três meses. Depois disso, deve custar cerca de R$ 20 (além do valor da conta normal), dará uma adicional de 50 GB de franquia a mais e permitirá acesso a serviços de games com baixa latência e outros serviços adicionais que ainda serão apresentados.

Segundo Alberto Griselli, CEO da operadora, além do plano adicional gratuito nos primeiros 12 meses, a TIM promete entregar o 5G com maior cobertura. "Em Brasília pretendemos em 60 dias cobrir 65% da população com 164 torres. No lançamento, teremos 100 já ativadas, que cobrem 50% da população. Será a maior cobertura entre todas as empresas", assegura a TIM.

Já o serviço de online gaming que a empresa pretende agregar ao "booster" 5G é uma parceria com a AWG Games, que tem no portfólio jogos AAA com partidas multiplayer (ou seja, com vários jogadores ao mesmo tempo) como Fortnite, GTA 5 e Elden Ring (estes últimos dois estão disponíveis apenas para computadores e consoles), entre outros. "São jogos online que demandam uma rede com baixíssimas latências e por isso fazem sentido estarem nesse pacote", diz Paulo Esperandio, CMO da TIM, destacando que outras aplicações deverão ser acrescentadas a esse pacote 5G, como realidade virtual.

Notícias relacionadas

Do ponto de vista técnico, o que esse pacote 5G faz é permitir aos usuários o acesso à rede standalone da operadora. Os demais clientes terão acesso ao 5G, mas na rede non-standalone, que compartilha algumas funções e elementos com a rede 4G e, por isso, não permite o uso pleno das capacidades do 5G. A TIM diz que não será necessária a troca do SIM Card e que basta a adesão ao plano por qualquer canal de relacionamento. Mas o terminal precisa estar preparado para a rede standalone, o que será informado ao cliente no instante da adesão.

A TIM reconhece que a base de clientes com terminais 5G ainda é pequena, da ordem de 3,5%, mas 50% dos aparelhos vendidos atualmente já são 5G e 70% do portfólio de aparelhos comercializados já é nesta tecnologia.

Rentabilidade

A rentabilização dos serviços 5G, segundo a TIM, virá de quatro caminhos diferentes. Para Griselli, o potencial de ganhos da operadora está nas seguintes frentes:

  • Eficiência de investimentos: Segundo Griselli, isso tem menos a ver com o cliente, e mais com uma tecnologia que tem desempenho melhor que o 4G. Isso significa que a operadora consegue absorver o crescimento de dados de maneira mais eficiente, gastando menos para expandir a rede.
  • Ganhos ao consumidor consumidor: segundo a TIM, o pacote oferecido neste momento é apenas um começo, e outros virão. "Precisamos de um tempo para aprender como o consumidor reage e no tempo vamos acrescentar mais coisas. Hoje está gratuito, mas pode ser precificado no futuro".
  • Benefícios ao mercado corporativo: "O 5G permite criar e desenvolver serviços no mercado corporativo que eram impossíveis com o 4G", diz ele. Os exemplos são conhecidos: Internet das Coisas, veículos conectados, automação de fábricas, redes privativas etc.
  • Banda larga fixa: segundo Griselli, o FWA é um serviço muito popular nos mercados dos EUA (Verizon e T-Mobile) e aqui no Brasil o potencial é pequeno porque o custo ainda é alto (US$ 250 por terminal de usuário – CPE). "Mas na medida que a escala mundial crescer e outros países entrarem, cai o custo do CPE e em alguns anos essa possibilidade pode fazer sentido", diz o presidente da TIM.

Prime Vídeo em todos os planos

Independente do lançamento de 5G, mas em linha com a estratégia da TIM para conteúdos de valor adicionado para seus clientes, a operadora deve anunciar nesta quarta, 6, a inclusão da assinatura do aplicativo de streaming Prime Video a toda a sua base de clientes, incluindo clientes pré-pagos. Segundo Esperandio, esta estratégia faz sentido para estimular o consumo de dados dos usuários e agregar valor à oferta, e está em linha com as parcerias que a TIM já fez com a Deezer e com a oferta de outros aplicativos semelhantes como Youtube Premium e Netflix, dependendo do pacote. A novidade é que o acesso ao Prime Video será para toda a base.

A operadora também planeja agregar aos clientes pós-pagos o acesso ao Amazon Prime, que inclui além dos conteúdos por streaming, o acesso ao serviço de entrega gratuita para determinadas compras feitas via Amazon.

Deixe seu comentário