Net pretende expandir serviços de VOD em 2012 para outras cidades e para além da casa do usuário

A Net Serviços lançou nesta quarta, dia 4, o serviço de vídeo sob demanda Net Now em Brasília. Com isso, a operadora completa as seis cidades, ao lado de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alere e Curitiba, que receberão o serviço este ano. Daqui para frente, a cobertura nessas cidades do serviço Net NOW deve chegar a 100%, e já no ano que vem deve ser levado para todas as demais cidades em que o serviço em alta definição esteja disponível. A ênfase dada pelo presidente da Net, José Felix, no lançamento de Brasília foi explicar que esse não é um serviço que funciona pela Internet. "Trata-se de um serviço que funciona como qualquer outro canal nosso. O conteúdo começa a ser exibido instantaneamente e com altíssima qualidade, inclusive HD". A ideia da Net é oferecer, com um produto de maior qualidade e estabilidade, aquilo que os serviços por Internet como NetFlix e Apple TV prometem: acesso sob demanda e a qualquer tempo dos conteúdos de interesse. A plataforma utilizada pela Net combina equipamentos da Seachange, Cisco e middleware OpenTV, e o serviço só está disponível nas cidades com HD pois é onde já foi feita a limpeza do espectro para permitir os canais necessários ao serviço on-demand. Segundo Márcio Carvalho, diretor de desenvolvimento de produtos da Net, não existe hoje serviços online com oferta de conteúdos HD como a Net oferece em sua plataforma de VOD. O acervo, segundo Carvalho, já passa de dois mil títulos, muitos deles gratuitos e em alta definição.
Mas o Net Now é a primeira etapa de uma mudança que promete ser ainda maior. A operadora está trabalhando já no desenvolvimento de sua plataforma de TV everywhere, em que o conteúdo dos canais oferecidos pela Net estará disponível, de maneira online, aos assinantes da operadora. Segundo Carvalho, esse produto já está sendo testado internamente e ainda este semestre deve passar por testes de maior escala. As dificuldades, segundo José Felix, passam ainda por questões de tecnologia, controle de direitos (DRM), negociação com programadoras e desenvolvimento de um modelo de negócios. Segundo Felix, o serviço de conteúdos online da Globosat, o Muu, será uma parte do Net Now online. "Será um dos canais online disponíveis, e outras programadoras já estão trabalhando em modelos semelhantes", explica o executivo. A autenticação do conteúdo, segundo Márcio Carvalho, diretor de produtos da Net, será feita pela operadora, para assegurar que é o assinante quem está tendo acesso ao conteúdo online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.