Oi espera quase dobrar receita com SVA no primeiro trimestre

Um tema recorrente da Oi é que o featurephone morreu nas vendas de aparelhos, permanecendo apenas a comercialização de smartphones. Essa atitude começa a dar resultado para a operadora, que já teve crescimento de 34% na receita de SVA na comparação de 2013 e 2014, e que deverá apresentar no primeiro trimestre de 2015 (comparado com o mesmo período do ano passado) uma evolução de praticamente o dobro, segundo o gerente de SVA da tele, Gustavo Alvim. "Estamos crescendo bastante. Obviamente a briga pelo bolso do cliente pode aumentar, mas, com conteúdo e preços acessíveis, vai brigar com outro bolso, não com (outros serviços de) telecom".

Até por isso, Alvim declarou que a competição com over-the-top (OTT) não é uma ameaça. "É oportunidade na Oi", garante. A companhia se apoia em dados da empresa de pesquisas Statista, que projeta que a receita com aplicativos no mundo em 2015 passe de US$ 45,5 bilhões, com 12,6 bilhões de downloads pagos, 167 bilhões de downloads de apps gratuitos e 80% do tempo de utilização dos smartphones com esses softwares. "OTT é benefício para operadora, estimula tráfego de dados. Em função dos ativos que temos de distribuição, billing e CRM, temos possibilidade de fazer parcerias para entrar cada vez nesse mercado", declara. Essa integração permite fazer campanhas com algoritmos de recomendação. "Temos resultados 40% maior", declara.

Notícias relacionadas

Portanto, a companhia aposta na distribuição de conteúdo, funcionando não apenas como facilitador de pagamento (por meio de billing), mas também como espécie de curadoria com o Oi Apps Clube. O serviço, que Alvim compara com um "Netflix de aplicativos", possui dois milhões de usuários, entre pré e pós-pagos. O executivo interpreta que a desbancarização e a falta de confiança do consumidor no uso de cartão de crédito são contornadas com a plataforma. "Com o Apps Clube, a gente endereça esses problemas, pois todos os aplicativos são pagos na Google Play, não tem pegadinha", diz ele. Quando perguntado se o cliente continua usufruindo dos aplicativos gratuitos mesmo após um período inicial, ele afirmou que os usuários "estão satisfeitos".

A Oi ainda investe em plataformas de educação, com cursos de idiomas, concursos públicos, cursos livres e entretenimento. Além disso, a empresa conta com o Oi Vídeos, com conteúdo de over-the-top.

Por outro lado, a Oi hoje conta com menos plataformas OTT. A parceria com o serviço de streaming de música Rdio, que antes envolvia consumo de dados, atualmente é restrita a um acordo de billing, ainda de acordo com Gustavo Alvim. Uma futura parceria com outra companhia também não parece estar no horizonte da operadora. "Temos que encontrar modelos de negócio, tem que ser uma conta que faça sentido", analisou.

Alvim participou do 14º Tela Viva Móvel, iniciado nesta terça-feira, 5, em São Paulo. O evento é organizado pela Converge Comunicações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.