Sucessão na Damovo visa maior presença junto ao setor de telecom

O executivo Alberto Ferreira, ex-SAP, Vivo e Intelig, é o novo presidente da Damovo do Brasil, integradora especializada em serviços de implantação, manutenção, monitoramento e gerenciamento de redes convergentes de TI e comunicações. Ele substituirá Arnaldo Curvello, que estava à frente das operações locais da companhia desde 2001 e que ocupará, a partir de agora, o cargo de chairman. O próprio Curvello indicou o novo líder, com o objetivo de buscar uma consolidação da companhia na área de comunicações unificadas e maior crescimento no mercado de telecomunicações. "Hoje trabalhamos com os clientes finais de algumas operadoras (Telefônica e Embratel), mas pretendemos oferecer serviços diretamente para essas e outras operadoras e também ingressar no core das telcos com nossos parceiros tecnológicos", revela. "Nossa abordagem com as operadoras precisava de maior eficácia. Com o Alberto Ferreira, supriremos essa carência e abriremos novas frentes de negócios", completa. Ferreira, por sua vez, assume a missão apostando nos serviços de pós-implantação como diferencial. "Essa é a fase mais complexa e a que provoca maior número de reclamações por parte das operadoras. A Damovo tem uma equipe apta para superar esse desafio e oferecer serviços que vão da consultoria, projeto e implantação até a manutenção, monitoramento e gerenciamento de redes", diz.
Para a área de comunicações unificadas (UC), segundo palavras do novo executivo, "a Damovo pretende ser a primeira opção do mercado". A integradora instalou cerca de 2 milhões de portas na planta digital de telefonia no Brasil, sendo 600 mil IP. Segundo ele, apesar do forte crescimento para dados, a voz ainda é o carro-chefe da Damovo, sendo responsável por 60% da receita anual.
Resultados
No último ano fiscal, que começou em 1 de fevereiro de 2008 e se encerrou no último 31 de janeiro, a Damovo faturou 228 milhões de euros e as operações no Brasil, com R$ 178,5 milhões, representaram 30% dessa receita. "Poderíamos ter faturado uns R$ 10 milhões a mais, não fosse a crise e a postergação de contratos vigentes, principalmente nas áreas de Governo e Indústria, mas o Brasil está acima da média em relação aos outros países onde a Damovo atua", revela Curvello. A Damovo conta com um quadro de 1.150 funcionários, distribuídos na Alemanha, Bélgica, Brasil, Holanda, Inglaterra, Irlanda, México, Polônia, República Tcheca e Suíça. Entre os principais parceiros globais da Damovo estão a Cisco, Microsoft e a Aastra, fornecedora canadense de soluções para comunicação corporativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.