Publicidade
Início Teletime Operadora russa de WiMAX móvel quer atuar na América Latina

Operadora russa de WiMAX móvel quer atuar na América Latina

No Brasil, quase ninguém conhece a marca Yota. Mas na Rússia ela está dando o que falar: trata-se de uma operadora de WiMAX móvel com cobertura em Moscou e São Petersburgo que oferece serviços de download de músicas, download de filmes inteiros com qualidade de DVD e streaming de canais de TV sobre sua rede. A Yota entrou em operação em setembro e tem hoje 400 ERBs cobrindo Moscou e São Petersburgo. Sua meta é ambiciosa: quer conquistar 100 mil assinantes até o fim de 2009. Como atrativo, trouxe para o mercado russo o primeiro smartphone GSM/WiMAX fabricado pela HTC, o "MAX 4G". Todas as 1,5 mil unidades que compunham o primeiro lote foram vendidas em um único dia. E o preço do aparelho não tinha subsídio: cada um custava o equivalente a US$ 1,2 mil. Como promoção, a Yota ofereceu acesso à internet grátis até o fim de março para todos os clientes que adquirissem o terminal.
Mesmo tendo acabado de entrar em operação na Rússia, a Yota tem planos de expansão no exterior. Seu diretor de desenvolvimento internacional, Egor Ivanov, está no Brasil e realizou nesta quinta-feiram 4, a apresentação que mais chamou atenção do público durante o congresso latino-americano do WiMAX Forum, no Rio de Janeiro. O que impressionou a platéia não foi apenas o pioneirismo da Yota com um serviço de WiMAX realmente móvel, mas a mensagem que Ivanov trouxe: "Uma das razões para eu estar aqui é que queremos expandir nossa rede. Podemos adquirir operadoras locais ou prover serviços na América Latina. Temos muito dinheiro no bolso", disse ao público. Procurado por TELETIME NEWS depois de sua apresentação, Ivanov disse que a Yota tem centenas de milhões de dólares para investir em sua expansão internacional e já está conversando com empresas da América Latina, dentre elas a venezuelana Omnivision/Movilmax. "Não se trata de um investimento tipo venture capital. Não queremos simplesmente investir. Queremos operar", explicou. "Nosso foco principal são os países amigos da Rússia", disse o executivo, acrescentando que o Brasil faz parte dessa lista.
A Yota é uma marca da Scartel LLC, que, por sua vez é controlada pela WiMAX Holding Ltd. Os donos da empresa são fundos privados, disse Ivanov. Mas recentemente o governo russo entrou como sócio minoritário na WiMAX Holding, adquirindo 25,1% de participação acionária.

Notícias relacionadas

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile