TV paga teve em setembro seu pior mês em 2019

O mercado de TV por assinatura voltou a apresentar uma significativa queda de base no mês de setembro, conforme dados da Anatel. No mês, foram 266 mil assinantes a menos em relação ao mês anterior e 1,7 milhão na perda anual. Foi a maior perda mensal no ano. A base registrada pela Anatel em setembro de 2019 foi de 16,08 milhões de clientes, similar à de novembro de 2012. Com mais esta queda de base, o ritmo médio de erosão do mercado de TV paga em 2019 está em 166 mil clientes ao mês, bastante acima da média de perda de base em 2018.

A operadora que mais perdeu base em setembro foi a Sky com 93 mil assinantes a menos, chegando a um patamar de 4,8 milhões de assinantes. A operadora vive um momento de grande incerteza regulatória em função da indefinição dos planos da AT&T no Brasil, que ainda não tem a autorização regulatória para manter a operadora após a compra do grupo Time Warner nos EUA. A perspectiva é que a AT&T tenha que se desfazer da Sky. Ao mesmo tempo, a operadora ainda não sabe se terá condições legais de lançar o serviço OTT. Nos EUA, a AT&T também teve perdas recorde de base de assinantes em setembro, e pretende acelerar os planos de lançar seu serviço OTT HBO Max, resultante da incorporação da Warner Media. No Brasil não há planos enquanto não houver uma definição da Anatel ou uma mudança legal. Vários projetos tramitam no Congresso no sentido de acabar com as restrições à propriedade cruzada, o que poderia clarear o cenário para a AT&T. Mas não há perspectiva de aprovação rápida.

O grupo Claro Brasil também perdeu uma boa quantidade de assinantes em setembro, segundo dados da Anatel. Foram 80 mil clientes a menos, fechando com uma base de TV paga um pouco abaixo de 8 milhões de clientes. A maior perda foi na base de cabo, com menos 51,5 mil clientes, para uma base total de 6,67 milhões. No DTH, a Claro perdeu 28,5 mil assinantes, para 1,32 milhão.

A Vivo TV, que anunciou planos de deixar de vender DTH, ficou com 26 mil de assinantes a menos em setembro, para uma base de 1,38 milhão. A Oi TV, que também anunciou que não vai mais priorizar a oferta de DTH (até aqui, a principal plataforma de crescimento da empresa), ficou com 12 mil clientes a menos, para 1,54 milhão.

Mas uma grande parcela da perda de base no mês de setembro se deve a operadores independentes. A queda entre os pequenos foi de 53 mil clientes. Olhando-se a tabela detalhada da Anatel, é possível perceber que várias operadoras com 13 mil assinantes ou menos deixaram de reportar os dados em setembro, o que pode se dever a um problema pontual ou ajustes de sistemas. De qualquer maneira, os operadores independentes fecharam setembro com 292 mil clientes.

O gráfico abaixo representa o ritmo de perda de base desde janeiro de 2018:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.