STF julga inconstitucional lei estadual de SP sobre instalação de antenas

Em sessão virtual, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou procedente uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a lei 10.995/2001 do estado de São Paulo, que estabeleceu condições para a instalação de antenas (ERBs) de telefonia celular. Por unanimidade, a corte reiterou que a competência privativa para legislar sobre telecomunicações é do governo federal.

A ação (ADI 311) foi proposta pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ainda em 2004 e teve o ministro Edson Fachin como relator. No entendimento do magistrado, a lei estadual viola o princípio da subsidiariedade, pois a Lei Geral das Telecomunicações (LGT) atribui à Anatel a definição de limites para temas como a tolerância da radiação emitida por ERBs.

Notícias relacionadas

O ministro ainda lembrou que a União já fixou (através da Lei 11.934/2009) limites proporcionalmente adequados à exposição humana a campos elétricos, magnéticos e eletromagnéticos. A lei segue recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Comissão Internacional de Proteção Contra Radiação Não Ionizante (ICNIRP).

De acordo com o portal da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a lei estadual 10.995/2001 já havia sido declarada inconstitucional anteriormente, em Ação Direta de Inconstitucionalidade do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.