Demarco pede documentos da Kroll na Justiça de NY

Uma nova variável se coloca no processo que corre em Nova York em que o Citibank pede pelo menos US$ 300 milhões de indenização por fraude ao grupo Opportunity. O empresário Luis Roberto Demarco, ex-sócio de Daniel Dantas e vítima de espionagem no caso Kroll, pediu nesta sexta, 4, para intervir na ação. Demarco argumenta que o Opportunity utiliza, no processo, documentos obtidos no escopo da investigação promovida pela Kroll, incluindo o relatório Project Tokyo.
O empresário também alega que Dantas pode estar utilizando documentos que, por ordem da Justiça de Cayman, não poderiam ser utilizados, por terem sido furtados de Demarco e da TIW. Esta denúncia, aliás, foi feita por este noticiário em 29 de fevereiro.
O documento colocado por Dantas na Justiça de Nova York e sua retratação, reconhecendo ter utilizado documentos furtados de Demarco estão disponíveis em www.teletime.com.br/arquivos/retratacao.zip .

Notícias relacionadas
Se a hipótese de Demarco for confirmada, o Opportunity e o próprio Citibank (que também está sujeito à ordem de Cayman) poderão ser considerados, segundo Demarco, em desacato à corte (contempt of court) pela justiça do paraíso fiscal.
Por fim, Demarco alega que o Citibank revelou ao Opportunity condições confidenciais de um acordo celebrado entre o Citi e o empresário em 2004. O pedido de intervenção de Demarco no processo consiste na possibilidade de acesso aos documentos que estão sob sigilo (entre eles os relatórios da Kroll utilizados pelo Opportunity). O juiz Lewis Kaplan, que conduz o processo, ainda não disse se aceita ou não o pedido do empresário. A petição de Demarco está disponível em www.teletime.com.br/arquivos/motion_demarco.pdf
Espionados

Demarco lembra ao Juiz Lewis Kaplan que ele é assistente de acusação no processo judicial decorrente do inquérito do caso Kroll no Brasil e que tentou entrar com uma ação contra Dantas, o Citibank e a empresa de investigação em Nova York, mas o caso não prosperou porque a justiça local julgou que esta ação deveria correr no Brasil, e não nos EUA. Também foram parte da ação outros jornalistas que, segundo a Polícia Federal, também foram espionados por Daniel Dantas. Entre eles Rubens Glasberg (presidente da Converge Comunicações, que edita este noticiário), Paulo Henrique Amorim e Jonathan Wheatley, repórter do jornal Finantial Times. A íntegra da ação movida pelos jornalistas, e que não prosperou, é agora colocada como anexo por Luis Demarco em Nova York. A íntegra está disponível em www.teletime.com.br/arquivos/complaint_kroll.pdf

Acordo

Vale lembrar que, nesse momento, Citibank e Opportunity negociam justamente o fim desta ação em Nova York. Na semana passada, o banco-norte americano aceitou verbalmente retirar a ação em troca do reconhecimento, pelo Opportunity, de uma participação de 33% do banco norte-americano na Highlake, participação esta que vale US$ 96 milhões. Segundos fontes que acompanham as negociações entre Citi, fundos de pensão e Opportunity, o acordo se deu em decorrência de uma grande pressão política do governo, já que sem o acordo com Dantas, seria muito difícil viabilizar a fusão entre Brasil Telecom e Oi.
Outro fato que chama a atenção no processo é a atitude do Opportunity que, no dia 25 de março, protocolou na justiça de Nova York uma petição acompanhada de uma série de e-mails internos do Citibank. Os documentos permanecerem públicos por três dias, período no qual, aliás, este noticiário teve acesso a eles oficialmente.
No dia 28 de março (um dia depois que supostamente se deu o acordo verbal entre Citi e Dantas) o Opportunity protocolou novamente a mesma petição, mas desta vez com os e-mails do Citi protegidos por sigilo. Os advogados do Opportunity argumentaram que "inadvertidamente" haviam colocado os e-mails de forma aberta no dia 25. Entre esses e-mails, estavam correspondências do atual chairman do Citi, Sir Win Bischoff, que se referem a "erros do passado" cometidos pelo Citi ao se associar a Dantas, tratado nos e-mails como uma pessoa "sem reputação". O Opportunity pressionava para poder ouvir Bischoff como testemunha, e o Citi relutava. Este e-mail está disponível em www.teletime.com.br/arquivos/emails_citi.pdf .

Acusações

Além disso, no dia 27, o Citi havia colocado um pedido ao Juiz Kaplan para adicionar uma nova queixa contra o Opportunity, e protocolou uma quinta versão da peça de acusação contra Dantas, reafirmando todas as queixas anteriores. Estranhamente, horas depois, o Citi fechou verbalmente com Dantas os termos do acordo para retirar o processo de pelo menos US$ 300 milhões em troca de uma participação de US$ 96 milhões em uma empresa. O acesso a essa quinta peça de acusação do Citi (Fifth Amended Complaint) é possível pelo endereço www.teletime.com.br/arquivos/fifth_acomplaint.zip .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.