Educação a distância: situação não é desoladora, diz MEC

Carmen Neves, diretora da Secretaria de Educação a Distância do Ministperio da Educação, enviou à redação de deste noticiário uma carta esclarecendo suas posições, reportadas na nota "TV é a principal fonte de informação para 90% dos professores, diz MEC", da edição do dia 1 de setembro desse noticiário:
"A respeito de matéria publicada, de 01/09/2004, quero esclarecer que os dados que apresentei não foram caracterizados por mim como um cenário 'desolador' como indicado no texto. A situação do País é desafiadora – o que é completamente diferente de ser desoladora. No que se refere à rede pública, os dados mostravam, entre 1999-2003, crescimento de 89,9% das escolas com computadores; de 676,3% das escolas com Internet e de 136,4% das escolas que fazem uso pedagógico dos computadores. O cenário, embora longe de ser o ideal, é propício à inovação. Para garantir a inclusão tecnológica a todo cidadão, enfatizei que é imprescindível a ação "decisiva e conjunta" do Poder Público, nos três níveis de governo.
De sua parte, a Secretaria de Educação à Distância do MEC trabalha para implementar políticas que: (a) garantam a continuidade do TV Escola, Proinfo, Proformação, Rádio Escola e Paped; (b) modernizem a infra-estrutura e levem às escolas públicas tecnologias digitais e conexão à Internet; (c) assegurem capacitação a gestores, professores, técnicos, alunos e comunidade; (d) valorizem a integração de mídias e a pluralidade de projetos; (e) incentivem a produção nacional de programas educativos multimídia; (f) apóiem as universidades públicas na democratização do acesso à educação superior por meio da educação à distância; (g) promovam pesquisas, estudos e avaliação das linguagens e tecnologias da informação e da comunicação aplicadas à educação. Tais políticas sinalizam não desolação e sim crença na mudança.

Notícias relacionadas
Para concretizar essa agenda, é necessário haver recursos orçamentários, cuja liberação deve ser feita regularmente, uma vez que a aplicação de recursos públicos obedece a trâmites burocráticos e legais bem como limita-se ao exercício financeiro que expira em 31 de dezembro".
Nota da redação: Em suas declarações a esse noticiário, a diretora Carmen Neves em nenhum momento disse que a situação em questão era desafiante. Por outro lado, o termo ?desolador? foi uma contextualização feita pela reportagem diante das informações apresentadas pela diretora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.