Tráfego global de dados móveis crescerá 12 vezes até 2018

O tráfego de dados móveis no mundo dobrou entre o primeiro trimestre do ano passado e o mesmo período neste ano, segundo aponta o estudo de mobilidade da Ericsson divulgado nesta segunda, 3. Na comparação com os últimos três meses de 2012, o aumento foi de 19%, totalizando aproximadamente 1.500 Petabytes mensais, somando uplink e downlink, ao final de março deste ano. Mas a explosão ainda vai aumentar: graças ao grande consumo de vídeos em handsets, a expectativa da companhia é de que o tráfego de dados geral deverá crescer 12 vezes de 2012 até o fim de 2018, enquanto o serviço de voz continuará a registrar crescimento de dígito único no período.

O tráfego de vídeo será o grande responsável por esse volume de informação transmitido nas redes móveis, crescendo 60% anualmente até o final de 2018, quando será responsável por metade do tráfego móvel global. Isso inclui serviços over-the-top (OTT), como Netflix e YouTube, e comunicação, como Skype e Hangout; mas exclui grande parte do tráfego de compartilhamento de arquivos e de dados criptografados.

Em se tratando do consumo em aplicativos, o vídeo, que atualmente responde por 31% do tráfego móvel, deverá chegar a 46% em 2018. Por sua vez, a navegação pela Internet e o acesso a redes sociais deverão ser responsáveis por cerca de 10% cada do total do volume de dados em 2018. Considerando o tráfego em aplicativos, os percentuais serão de 10% e 9% daqui a cinco anos – queda em relação a 2012, quando a navegação da web foi responsável por 14% do tráfego, enquanto os sites de relacionamento ficaram com 10%.

A Ericsson diz que o tráfego por usuário é afetado "parcialmente" pelo tamanho da tela do device e pela resolução cada vez maior desses displays. O relatório afirma que, em média, um notebook gera cinco vezes mais tráfego do que um smartphone, com 2,5 GB/mês e 450 MB/mês, respectivamente. No final de 2018, a estimativa é de que sejam 11 GB/mês para computadores móveis e 2 GB/mês para smartphones.

Em tablets, o crescimento de dados nesses seis anos será de 40 vezes, com uma média anual de aumento de 85%. Esses dispositivos atualmente são responsáveis por 600 MB/mês de consumo de dados por usuário, taxa que deverá crescer para 3.100 MB/mês em 2018. É mais consumo do que o registrado em smartphones, que usavam 450 MB/mês em 2012 e deverão chegar a 1.900 MB/mês daqui a cinco anos.

Considerando somente o tráfego de voz, o aumento foi de 4% no comparativo anual. Os dados de tráfego não incluem DVB-H, Wi-Fi ou Mobile WiMAX, enquanto voz não inclui VoIP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.