Minicom quer incluir telecom no benefício das compras governamentais

O Ministério das Comunicações pretende que o setor de telecom seja incluído entre aqueles contemplados pelas regras de preferência à indústria nacional nas compras governamentais, que dá uma margem de preferência de até 25% aos produtos nacionais. Vale lembrar que a Telebrás utilizou o instrumento para contratar o seu backbone.

Entre as medidas anunciadas nesta terça, 3, no âmbito do Plano Brasil Maior, está a inclusão dos setores de retroescavadeiras, motoniveladoras e fármacos, além do setor têxtil que foi incluído no ano passado. O secretário-executivo do Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Alessandro Teixeira, disse que, por enquanto, são esses os setores, mas poderão ser incluídos novos a depender de estudo. A dotação orçamentária para as compras governamentais é de R$ 3,9 bilhões em dois anos.

José Gontijo, diretor do departamento de indústria, ciência e tecnologia do Ministério das Comunicações afirma que o ministério faz parte do grupo de trabalho da Fazenda que estuda novos setores para serem contemplados. Os técnicos do Minicom estão avaliando um caso concreto para ver como a preferência poderá ser transposta para a regulamentação. A questão, explica ele, é chegar em um percentual adequado para a margem de preferência de produtos nacionais nas compras  governamentais.  

O governo está tranquilo em relação a argumentos de que esse tipo de preferência fira regras da OMC. Segundo ele, o Brasil não é signatário de acordo de compras governamentais da OMC e, além disso, diversos países do mundo têm práticas semelhantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.