Comissão Europeia diz que 5G é oportunidade para indústria de telecom se reinventar

A nova geração de redes móveis deverá servir como o ponto de virada para que os provedores deixem de ser meros fornecedores de infraestrutura de acesso e possam se reinventar no ambiente da Economia Digital.

Quem fala isso não é uma operadora, mas sim Günther Oettinger, comissário da Comissão Europeia para Economia e Sociedade Digital. E é aí que política e economia se cruzam. Aparentemente, a visão europeia é a de fortalecer as empresas de telecomunicações dentro desse ambiente digital, até porque a Europa tem uma grande quantidade de companhias multinacionais (tanto operadoras quanto fornecedores de tecnologia) que oferecem serviços em várias partes do mundo, mas que perderam espaço nos últimos anos. Oettinger, falando durante o Mobile World Congress, que acontece esta semana em Barcelona, foi ainda mais longe.

Disse que a política digital a ser buscada deve ter uma abordagem que incentive esse ambiente. "A política de neutralidade de rede tem que garantir a Internet aberta, mas também permitir que esses serviços especializados surjam", disse ele. Mais tarde, em apresentação a jornalistas, Oettinger disse que a neutralidade de rede é uma meta importante das políticas Europeias, assim como a Internet aberta, porque isso é importante para os consumidores. "Estamos organizando o processo para que tenhamos uma linha única e não 28 regulações diferentes, e estamos trabalhando para que uma decisão convincente saia esse ano, com serviços especiais em mente", disse ele.

Coordenação

A Comissão Europeia foi mais longe. Além da questão regulatória, há um esforço de coordenação dos diferentes agentes envolvidos. Esta semana foi anunciada a iniciativa 5G Vision – Public-Private Partnership, uma espécie de mesa de diálogo entre empresas fornecedoras, reguladores e operadores para definir princípios comuns que nortearão a definição de padrões para a quinta geração de serviços móveis. Além dos europeus, muitos fornecedores asiáticos estão envolvidos.

No anúncio inicial estavam presentes Alcatel-Lucent, DoCoMo, Ericsson, Huawei, Intel, Nokia, Orange, Samsung e Thales Alenia, além do 5GPP (grupo de padronização do 5G. Para Oettinger, os benefícios dessa iniciativa envolvem a definição de padrões em que os europeus possam contribuir, a unificação de políticas de espectro e regulamentação. "A 5G é a oportunidade para o setor de telecom se reinventar e estabelecer parcerias com outros setores e ajudar a transformar a economia", disse o comissário.

Políticas públicas

O comissário fez duras críticas à forma como os países europeus têm conduzindo suas políticas digitais. Especialmente em relação a espectro, ele disse que esse assunto tem sido conduzido, até agora, pelos ministérios de finanças dos 28 países que compõem a Comunidade Europeia, e que nutre esperança de que isso passe a ser um assunto para gabinetes digitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.