Liquidez e ajuste tendem a trazer capital externo de volta

Crescem no mercado as expectativas de um lento, porém firme, retorno do capital estrangeiro à Bolsa. Os grandes administradores de fundos de investimento têm fundamentado essa tese com base no aumento da liquidez internacional (com redução dos juros nos Estados Unidos e Europa) e melhora relativa da imagem do país. Na avaliação do Lloyds Bank, o risco cambial do Brasil caiu de 16% para 5%, ao passo que as chances de sucesso do ajuste (entre moderado e completo) passam a 45%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.