Fusão da Vivo e GVT não impede avanço da AMX na banda larga

A base brasileira de acessos de banda larga fixa cresceu 0,61% e fechou o mês com 25,098 milhões de acessos, segundo dados da Anatel divulgados nesta quarta, 2. Comparando com dezembro de 2014, o aumento foi de 4,71%%.

A fusão da Telefônica com a GVT certamente deixou a entidade única com mais força, superando a Oi no segundo lugar. No entanto, o desempenho consolidado desde dezembro de 2014 mostrou que a participação das duas juntas recuou 0,33 ponto percentual (p.p.), resultando em  29,08% em julho. Não significa que a empresa tenha diminuído a base, mas que outras cresceram mais. De dezembro a julho, a companhia aumentou em 3,54%, enquanto o aumento foi de 0,55% no comparativo com junho. O total da base era de 7,298 milhões de acessos, sendo 3,198 milhões da GVT e 4,1 milhões da da Telefônica.

 

Captura de Tela 2015-09-02 às 19.00.25

A liderança continua com a América Móvil (Claro, Embratel e Net), com 31,6% do mercado (aumento de 0,21 p.p.) e uma base de 7,930 milhões de acessos, um aumento de 0,69% no mês e de 5,42% desde dezembro. Vale ressaltar o crescimento mensal de 5,77% e 4,07% da Sky (204,3 mil acessos) e da Live TIM (194,5 mil), respectivamente. No comparativo com dezembro, o aumento foi de 93,87% e 27,18%, também respectivamente. O terceiro maior player, a Oi (com 25,7% do mercado), fechou julho com 6,449 milhões, um aumento de 0,04% mensal e queda de 1,6% comparado com 2014.

Nota-se também o aumento da base dos provedores regionais (ISPs, classificados como "outros" na Anatel), que aumentou 1,19% mensalmente e 15,24%. Esses ISPs, juntos, totalizaram 2,187 milhões de acessos em julho, ou 8,71% do mercado.

Tecnologia e velocidade

Captura de Tela 2015-09-02 às 18.15.35

Em termos de tecnologia, o TDD-LTE em 2,5 GHz é a que mais está crescendo: 3,89% e 80,33% no mês e comparado a 2014, respectivamente, totalizando 110,9 mil acessos. Já a fibra (FTTx) fechou julho com 1,165 milhão de linhas, aumento de 2,87% e 22,98% no mês e no ano, respectivamente. Mas as formas de acesso dominantes no Brasil são o xDSL, com 13,328 milhões de acessos (aumento de 0,28% e 0,77%) e marketshare de 53,11%, e cabo (cable modem somado ao HFC), com 8,114 milhões.

Captura de Tela 2015-09-02 às 17.56.37

A faixa de velocidade que mais cresceu comparado a dezembro (50,71%) foi a de 12 Mbps a 34 Mbps (aumento de 5,99% no mês), totalizando em julho 4,576 milhões de acessos. A velocidade acima de 34 Mbps aumentou 6,13% no mês e 46,99%, total de 1,150 milhão. No entanto, a maior parte das conexões (41,28% do total) é de 2 Mbps a 12 Mbps, com 10,360 milhões de linhas, queda de 1% mensal e 7,82% no ano.

1 COMENTÁRIO

  1. PARABÉNS !!! Esta análise demonstra que ainda há MUITOOOO o que trabalhar no mercado brasileiro de Serviços de Internet Banda Larga… haja vista a pífia participação da real Banda Larga (>34Mbps – 5%), o mesmo valendo para a tecnologia que melhor suporta as altas velocidades ((Fibras Ópticas – 5%)… Após quase DUAS décadas da ABSURDA PIRATIZAÇÃO do Sistema Brasileiro de Telecomunicações, as operadoras atuais demostram que INVESTIMENTOS SÉRIOS não fazem parte do jogo… apenas COBRAR MUITO por serviços de BAIXÍSSIMA qualidade… ou querer aumentar o seu já absurdo faturamento, de modo totalmente MÍOPE e JURÁSSICO… tentando perseguir SERVIÇOS de REAL interesse para os usuários, tais como o WhatsApp !!! Hoje temos os Serviços de TCOM mais CAROS do MUNDO… e uma das PIORES QoS do mundo… mormente no ATENDIMENTO ao CLIENTE… UMA LÁSTIMA!!!
    Notório EXEMPLO de que a PIRATIZAÇÃO NÃO RESOLVE coisa alguma… piora… porque os BONS empregos e a notória expertise do saudoso CPQD da TELEBRAS, inclusive nas tecnologias ópticas… foram totalmente SUCATEADAS com uma criminosa perda do Capital Intelectual de brasileiros… que imigraram ou foram para a sarjeta… Muito Triste !!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.