Oi inaugura fazenda de energia solar em Minas Gerais

A primeira de 25 unidades de produção de energia contratadas pela Oi para este ano já está em operação. A operadora anunciou nesta quinta, 2, que a usina solar fotovoltaica inaugurada agora é localizada no município de Francisco de Sá, em Minas Gerais, a 50 km de Montes Claros. Além de usinas solares, a empresa também tem contratadas usinas de biomassa e centrais geradoras hidráulicas. A tele já tem outros projetos de fazendas de energia solar.

O projeto em Francisco de Sá é uma parceria com a empresa Solar Grid. A geração distribuída (GD) será compensada pela Oi nas contas de energia de suas unidades de consumo, conforme normas vigentes – a ação é parte do plano estratégico de diversificação de matriz de consumo. A expectativa é que "as iniciativas estruturantes, sejam elas no consumo ou aquisição de energia, tais como geração distribuída, migração de unidades para o mercado livre, projetos de eficiência energética, entre outras iniciativas estratégicas, resultarão num ganho anual de cerca de R$ 400 milhões para a companhia", conforme explica em comunicado o diretor de Energia e Sustentabilidade da Oi, Bernardo Scudiere.

"Assim, a energia produzida será injetada na rede distribuidora de energia local, e utilizada para abater do consumo de energia de cerca de 20 mil unidades da Oi, entre prédios, estações, torres, lojas e outros imóveis da companhia no Estado. O objetivo é utilizar fontes renováveis com menor custo, complementando a aquisição do grande volume de energia no mercado livre, onde a companhia compra energia incentivada, como de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), Eólica e de biomassa", declara a operadora no comunicado. 

Fazendas

As 25 plantas somam uma capacidade instalada de 123 MWp (medida de potência energética de células fotovoltaicas), o que representaria o consumo de 170 mil casas de classe média. A Oi acredita que, com todas as usinas operando até o final do ano, passa a ser referência no País como empresa de autoconsumo renovável em geração distribuída (GD), segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

As demais fazendas que serão implantadas ao longo do ano serão nas seguintes unidades federativas: Pará, Maranhão, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Bahia, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.

A companhia diz ter aumentado nos últimos anos o consumo de energia limpa, vinda de fontes renováveis. A participação da energia limpa na matriz de consumo global era de 15,8% em 2018, e a intenção é chegar a 60% ao final de 2020. Outra medida para reduzir o consumo energético será a troca de 240 mil lâmpadas fluorescentes por LED em imóveis em 16 estados. 

2 COMENTÁRIOS

  1. Nesse caso (aluguel) o investimento da operadora é ZERO……..basicamente haverá troca da despesa nas contas de luz pelo contrato de aluguel, que nesses casos fica em torno de 10% menor que o valor da conta de luz. Um investidor constroi a usina e aluga pra operadora que passarão a consumir toda a produção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.