Bridgewater quer expandir negócios na América Latina

A americana Bridgewater está de olho na América Latina este ano. A empresa desenvolve sistemas de gerenciamento de dados de assinantes (ou SDM, na sigla em inglês) para redes móveis, o que inclui autenticação de usuários, monitoramento do uso de banda em tempo real e análise de dados como o perfil de uso de cada assinante, de forma a tornar possível uma personalização da oferta de produtos. A empresa conta com 120 operadoras como clientes ao redor do mundo, dentre as quais merecem destaque Verizon Wireless, Telstra e Sprint.
Na América Latina, a Bridgewater tem contratos com a Telmex e, esta semana, anunciou a assinatura de um contrato com a mexicana Iusacell para uso de seus sistemas sobre a rede 3G da operadora. A Bridgewater ainda não tem escritório no Brasil, mas suas soluções já são utilizadas pela Embratel em sua rede WiMAX. "O crescimento do tráfego de dados na América Latina e particularmente no Brasil demonstra a importância desses mercados para a oferta de soluções de SDM", comentou o vice-presidente da Bridgewater, David Sharpley. "O tráfego de dados tem crescido mais que a receita das operadoras. Isso demanda uma gestão inteligente da rede, para não se jogar dinheiro fora", explicou.
A Bridgewater faturou em 2008 US$ 44 milhões. A meta é alcançar entre US$ 52 e US$ 58 milhões este ano, informou o executivo. A empresa não abre, contudo, sua estimativa de receita para a América Latina. Para atender a região, a Bridgewater conta hoje com um escritório no México.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.