Sercomtel Celular reduz prejuízo, mas faturamento também cai

O prejuízo da Sercomtel Celular caiu de R$ 4,6 milhões para R$ 3,6 milhões em 2006 em relação ao ano anterior, de acordo com balanço da operadora de Londrina (PR). O faturamento totalizou R$ 50,4 milhões ante R$ 63,6 milhões em 2005, com redução de 21%. O presidente da operadora, Gabriel Ribeiro de Campos, atribuiu a queda à entrada de concorrentes no mercado – agora são quatro operadoras disputando o mercado de telefonia móvel na cidade que possui em torno de 500 mil habitantes.
Para reter os clientes, Campos disse que precisou diminuir a rentabilidade para investir em programas de fidelização. O executivo também atribuiu a queda do faturamento à migração de usuários para os competidores e também para os planos pré-pagos da Sercomtel, reduzindo, conseqüentemente, a receita média por usuário. A Arpu caiu 15% para R$ 36,19, no ano passado.
A relação de motivos que influenciaram nos resultados não terminou. O presidente da operadora cita os investimentos em infra-estrutura técnica, que passaram de R$ 2,7 milhões para R$ 6,9 milhões, e o subsídio de aparelhos, no total de R$ 4,9 milhões em 2006, que provocou maior impacto nas contas. Este, aliás, foi um dos pontos debatidos no 1° Fórum Acel, promovido pela entidade que representa as operadoras móveis, e a revista TELETIME, no início de março. A conclusão, entretanto, foi que mesmo com a redução de lucro, os subsídios serão mantidos para a 3G até que se encontre um caminho alternativo.
A Sercomtel começou a ensaiar sua própria saída para diminuir o prejuízo de 2006 ao começar a vender SIM cards em magazines. Neste caso, a operadora não precisa desembolsar o subsídio.

Telefonia fixa

Do prejuízo de R$ 6,18 milhões na telefonia fixa, R$ 6 milhões foram das empresas coligadas Ask! (call center) e Adatel (TV a cabo em São José/SC e Osasco/SP), por conta de investimentos para o início das atividades. Campos afirmou que essas empresas estão à venda, por serem estranhas ao negócio principal. Será contratada uma consultoria para fazer a avaliação.
A receita bruta da Sercomtel Fixa foi de R$ 205,2 milhões, 6,93% a menos que em 2005. A Arpu caiu 5,4%, para R$ 83,71. Entre os motivos da redução estão menor tráfego de voz devido a outras tecnologias, como voz sobre IP, mudança para planos alternativos e a migração de assinantes da telefonia fixa para móvel. A empresa investiu no ano passado R$ 19,5 milhões em novas tecnologias e no aumento da planta, em especial a de banda larga (internet rápida ADSL). O faturamento do segmento de dados cresceu 40% em 2006.
O provedor Sercomtel Internet, subsidiária integral da Sercomtel Fixa, entretanto, apresentou lucro líquido de R$ 1,3 milhão, resultado 172% superior ao registrado em 2005, e faturamento de R$ 9,9 milhões. A carteira de assinantes para o acesso dial-up cresceu 59% e o ADSL, 79%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.