Experiência com apps vai marcar a diferença entre as teles, diz Ericsson

A tão esperada "sociedade conectada", na qual pessoas e coisas trocam informações constantemente através de redes sem fio, deixou o estágio inicial e entrou em uma fase de implementação. Essa é a opinião do CEO da Ericsson, Hans Vestberg: "Passamos do ponto de inflexão da sociedade conectada", disse o executivo em coletiva nesta segunda-feira, 2, no Mobile World Congress (MWC), em Barcelona.

Notícias relacionadas

Nesse novo contexto, a Ericsson enxerga uma segmentação das operadoras móveis ao redor do mundo em três grupos: aquelas que focam apenas em rede; as que querem se tornar "telcos digitais" e facilitar a oferta de serviços em diversas verticais, como saúde e educação, geralmente em parceria com terceiros; e aquelas que efetivamente serão criadoras de novos serviços de valor adicionado. "É a primeira vez que vez que constatamos uma segmentação das teles. Nunca houve isso antes", comentou.

Para o segundo e o terceiro grupo, a Ericsson entende que garantir a qualidade da experiência do usuário com aplicativos móveis será essencial para a sua diferenciação. Por isso, a fabricante lançou uma solução chamada "App Experience Optimization", que consiste no monitoramento da qualidade da experiência com apps, do ponto de vista do usuário, não da rede. "Os KPIs de rede podem estar ótimos, mas a experiência do usuário não. Isso acontece porque às vezes o gargalo não está na rede móvel, mas em um servidor DNS, por exemplo", explica um técnico responsável por apresentar a solução no stand Ericsson. São instalados sensores para monitorar a qualidade da navegação web, do streaming de vídeo e de outras ações populares entre os usuários, identificando especificamente quando e onde há problemas. Segundo Vestberg, dá para melhorar em 50% a velocidade de download e em 70% a de upload. A "App Experience Optimization" está em testes com operadoras da Ásia e será vendida como um serviço para as teles.

Ao mesmo tempo, a Ericsson criou uma solução chamada "Targeted App Experience". Trata-se de uma funcionalidade em seu software de gerenciamento de rede para priorizar apps específicos escolhidos pela operadora. A primeira a adotar a novidade é a SmarTone, em Hong Kong. Por trás da ideia está a constatação feita por uma recente pesquisa da Ericsson divulgada em MOBILE TIME de que ao redor do mundo apenas cinco apps são responsáveis por cerca de dois terços do tráfego nas redes móveis – os títulos podem eventualmente mudar de país para país, mas alguns são constantes, como Facebook. Todavia, é preciso avaliar se uma solução como essa não feriria o princípio da neutralidade de rede, dependendo de como for implementada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.