Quadros se despede da Anatel

Juarez Quadros Anatel

Juarez Quadros se despediu nesta quinta, dia 1, da presidência e do conselho diretor da agência. Quadros participou de solenidade de 21 anos da Anatel e aproveitou a ocasião para dirigir uma mensagem aos funcionários da Anatel, a quem elogiou pela "busca permanente da inovação e aperfeiçoamento da regulação de telecomunicações (…), fundamentais para o desempenho futuro do país". Ele pediu que o novo governo aponte políticas públicas para o setor. "Os desafios serão grandes e, mais uma vez, vocês terão a responsabilidade de implementar condições para uma ação integrada em que sejam vencidos os obstáculos conjunturais e seja continuado o desenvolvimento econômico, político e social do Brasil, no seio de uma sociedade democrática e republicana". Quadros então terminou a solenidade citando o filósofo Immanuel Kant: "Duas coisas me deixam maravilhado: o céu estrelado acima de mim e a lei moral dentro de mim". O presidente da Anatel não colocou explicitamente nenhuma situação, mas sabe-se que sua relação com o governo foi conflituosa por conta de situações em que não aceitou interferências políticas ou decisões que pudessem colocar o conselho ou o corpo técnico da agência sob risco de responsabilização.

Quadros entregou ainda um balanço ao ministro Gilberto Kassab com os resultados de sua gestão. Publicamente, ressaltou apenas a recomposição do orçamento da Anatel, algo que tem assegurado à agência o desempenho de suas atribuições. Mas o documento traz outros momentos importantes da Anatel nos últimos dois anos: o processo de recuperação judicial da Oi, a negociação dos TACs, a dispensa de autorizações para o serviço multimídia, a revisão do PGMC e do RGI (Interconexão), a instituição do comitê de prestadoras de pequeno porte, o desligamento da TV analógica entre outros processos importantes.

Gilberto Kassab também fez elogios públicos a Quadros, que foi escolhido e nomeado por Kassab após a saída de João Rezende. "Sempre poderei dizer que tive um grande amigo, parceiro, uma pessoa competente e cheia de idealismo, que cumpriu seu papel com seriedade".

Quadros ainda recebeu homenagens dos funcionários da Anatel e dos conselheiros Aníbal Diniz e Otávio Rodrigues. Leonardo Euler e Emmanoel Campelo estavam ausentes por motivo de viagem. Os dois acompanham o início dos trabalhos da Plenipotenciária da UIT, em Dubai.

2 COMENTÁRIOS

  1. Foi sem deixar nenhum grande legado.
    Promessa do Ministro que não trouxe nenhuma novidade ao setor.
    Os resultados de sua gestão: O processo de recuperação judicial da Oi (Oie, ele perdeu, esqueceu? aliás, Anatel foi a única a perder). A negociação dos TACs (Perdeu tb, da Telefônica, cade?). Por pressão impediu a cobrança de franquia, pressão popular, porque por ele, as prestadoras deitavam e rolavam. A revisão do PGMC (cadê? está no papel). Instituição do comitê de prestadoras de pequeno porte (nossa, que importância pro Brasil). Desligamento da TV analógica, estava tudo pronto quando ele chegou, ele só se fez presente.
    Tchau querido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.