Oferta de dados é central para reter usuários de pré-pago, diz de Angelis

A operadora TIM enxerga uma melhora no cenário econômico e um movimento de recuperação nas receitas. Em conferência com analistas nesta terça, 1, para a divulgação dos resultados do terceiro trimestre, o CEO da operadora, Stefano de Angelis enfatizou que a empresa tem registrado uma desaceleração na queda de receita e um aumento do EBTIDA, sobretudo se descontados os fatores que alteram a comparação de resultados, como a variação do valor de interconexão móvel (VU-M) e a alienação de torres. "A melhoria no cenário macroeconômico e político possivelmente trarão benefícios", disse o presidente da empresa. "Estamos com a estratégia de oferecer mais por mais", diz De Angelis. Para ele, o impulsionador tem sido o aumento no uso da rede de dados, cuja expansão é uma das prioridades da TIM. A operadora destaca que o uso médio de dados por usuários (BOU) já está em 763 MB e 40% do tráfego já se dá na rede 4G, com expressivo aumento da receita média de serviços de valor adicionados. . "Estamos entrando em um ciclo mais virtuoso. A receita de dados tem ajudado no aumento da receita, sobretudo no pós-pago e no controle". Entre as prioridades da TIM estão levar serviços 3G e 4G onde hoje só existe a oferta de voz. A TIM também quer que o usuário pré-pago que agora vive um período de consolidação dos SIM-cards em uma única operadora. "A nossa oferta de dados é o que fará o usuário optar pela TIM", diz de Angelis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.