Teles recebem poucas propostas para cobertura de novos estádios

Encerrada a Copa das Confederações, as operadoras celulares brasileiras se reuniram novamente para trabalhar em conjunto na instalação de uma rede comum nos seis estádios que faltam para a Copa do Mundo, nas cidades de São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Manaus, Natal e Cuiabá. O grupo, formado pelas cinco maiores teles nacionais e liderado pela Vivo, lançou uma nova RFP (request for proposal) com o objetivo de selecionar dois ou três fornecedores até meados de agosto. Entretanto, segundo fontes que acompanham o processo, houve poucos interessados até o momento e pode ser que as teles remodelem os termos da RFP. Pelo menos duas empresas teriam apresentado propostas: Comba e RFS.

O grande problema é que as teles repassam para os integradores todo o risco dos projetos. No caso da Copa das Confederações, alguns aceitaram essas condições porque queriam fazer parte da iniciativa, que serve de vitrine para conquistar outros contratos no País e no exterior. Houve até fornecedores que saíram no prejuízo em alguns estádios, tão apertada era a conta, relata uma fonte. Para complicar, passados três meses, há outro agravante: a desvalorização do Real frente ao Dólar nesse período, o que torna o negócio ainda menos atraente.

Custos

O custo da cobertura com rede celular e Wi-Fi no estádio de São Paulo deverá ser entre 30% a 40% maior que nos demais estádios até agora, por ser aquele da abertura da Copa do Mundo e reunir um público com mais smartphones e tablets.

Os prazos exíguos para a instalação dos equipamentos também preocupa os integradores. Na Copa das Confederações foram apenas 60 dias, depois da entrega dos estádios. Existe o temor que isso se repita nas arenas que faltam. O que talvez seja corrigido é a realização de mais eventos de teste antes da Copa do Mundo, com as redes de telecom funcionando, para corrigir possíveis falhas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.