União Europeia inaugura cabo submarino EllaLink, entre Brasil e Portugal

Lideranças da União Europeia (UE) inauguraram nesta terça-feira, 1°, o cabo submarino EllaLink, que interliga o continente ao Brasil a partir de Sines (Portugal) e de Fortaleza.

O sistema óptico de 6,2 mil km deve entrar em operação comercial apenas nas próximas semanas. Ainda assim, a conclusão do projeto (concebido há quase dez anos) foi celebrada em evento promovido em Sines pela Comissão Europeia e pelo governo português, que ocupa a presidência rotativa do órgão executivo da UE.

Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) brasileiro, Marcos Pontes representou o País na solenidade. O Brasil chegou a ser um dos sócios do EllaLink após contrato assinado em 2015, mas abandonou o projeto em 2018 por falta de recursos para investimentos por meio da Telebras. Um posterior contrato para uso da capacidade do cabo também foi rompido pela estatal.

Notícias relacionadas

A ligação de alta velocidade entre os continentes sem passagem pelos EUA, contudo, continuou como ponto estratégico para os europeus. Cerca de 150 milhões de euros (quase R$ 1 bilhão) foram investidos no EllaLink, com grande parte financiada a partir de instituições públicas como o European Investment Bank (EIB).

Âncora

Já o programa Bella (uma rede de interconexão entre comunidades de pesquisa e educação da Europa e América Latina) da UE atuou como principal cliente âncora do sistema, segundo o CEO da EllaLink, Philippe Dumont.

O cabo ainda tem contratos com operadoras do norte da África, da Ilha da Madeira e, no Brasil, com a Telxius. O EllaLink deve chegar em Fortaleza utilizando as instalações de landing station da subsidiária de infraestrutura da Telefónica.

São Paulo e Rio de Janeiro terão pontos de presença (ou POPs) da operadora a partir de data centers da Equinix. O sistema também se conectará com a infraestrutura da Globenet e da Lumen na capital cearense.

A empresa ainda terá outros POPs na cidade portuguesa de Sines (landing station do cabo na Europa), assim como em Lisboa, Marselha, Madrid e Barcelona. Ramificações também estarão presentes em países africanos como Marrocos, Cabo Verde e Mauritânia, permitindo rotas mais rápidas para o restante do continente e a Ásia.

Participando do evento da Comissão Europeia, o CEO da Nokia, Pekka Lundmark, destacou o sucesso na construção "in house" do sistema pelos europeus. A fornecedora finlandesa foi responsável por manufaturar o cabo (com vida útil de 25 anos) a partir da divisão Alcatel Submarine Networks.

Em sua rota principal, o EllaLink deve trafegar até 100 Tbps de capacidade. A projeção é de uma conexão direta com delay de 60 milissegundos (ms), representando metade da latência atual para usuários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.