Publicidade
Início Newsletter Mercado móvel encolhe no início de 2024; IoT puxa queda em janeiro

Mercado móvel encolhe no início de 2024; IoT puxa queda em janeiro

Foto: Pixabay

O mercado móvel encolheu no primeiro mês de 2024. O resultado foi puxado pelo mercado de Internet das Coisas (IoT). Isso porque as tecnologias de comunicação do tipo machine to machine (M2M) e terminais de ponto de serviço (PoS) fecharam janeiro com 336 mil acessos a menos. Por outro lado, as operadoras ativaram 663 mil novas linhas de celular tradicionais (chamadas de “padrão” pela agência) no mesmo período.

Quando se olha para todas categorias de produtos juntas (padrão, M2M e PoS), as operadoras de telecom somaram 255,9 milhões de acessos ativos em janeiro – alta de 0,5%. Para efeito de comparação, esse valor era de 256,3 milhões em dezembro de 2023. Vale lembrar que as operadoras costumam promover limpezas de base no final do ano para evitar o pagamento do Fistel sobre clientes inativos.

Pós-pago e pré-pago

Notícias relacionadas

Como já haviam evidenciado os balanços das operadoras, o Brasil está caminhando para ter mais linhas pós-pagas do que linhas pré-pagas. As operadoras Claro e Vivo alcançaram esse feito, ao contrário da TIM – que aproveita o cenário para proteger a base pré da tele com estratégias mercadológicas ao mesmo tempo em que tenta convencer novos clientes a migrarem para os planos pós.

Considerada o ativo mais valioso para as operadoras, a modalidade pós-paga fechou o mês de janeiro com 736 mil novas assinaturas – totalizando 107,3 milhões de acessos desse tipo no Brasil.

A Claro foi a operadora que mais ganhou clientes no pós em janeiro de 2024 em relação a dezembro do ano passado: 343 mil clientes, totalizando 36,8 milhões de acessos desse tipo. O segundo maior crescimento foi o da Vivo, com 263 mil adições (alcançando 46,1 milhões de usuários). A TIM teve uma perda de 163 mil acessos no pós e fechou janeiro com uma base composta por 33,5 milhões de assinantes.

Na contagem geral com pré e pós somados juntos, a TIM foi a única operadora que fechou janeiro no negativo. A redução da companhia foi de 1,6 mil acessos, puxada pelas desativações expressivas no pós (embora tenha ganhado 122 mil no pré). Já a Claro teve 474 mil linhas a mais no mesmo mês, enquanto a Vivo teve 179 mil linhas a mais nas duas modalidades.

5G cresceu 5,3%

Segundo a Anatel, o número de assinantes na quinta geração da tecnologia móvel passou dos 21,5 milhões no Brasil, com a adição de 1 milhão de acessos à rede em janeiro. Isso é um acréscimo de 5,3% em relação ao período anterior, menos acelerado que os 8% registrados em dezembro.

Em janeiro, a Claro liderou a adição de novos clientes 5G: 508 mil acessos a mais. Vivo e TIM somaram, respectivamente, 277 mil e 301 mil novos assinantes na quinta geração de redes móveis. No quadro geral das operadoras, o total de acessos 5G por operadora é de 8,2 milhões na Claro; 7,8 milhões na Vivo; e 5,8 milhões na TIM.

Internet das Coisas

Os acessos de comunicação do tipo machine to machine (M2M) e terminais de ponto de serviço (também chamados de PoS, que estão em máquinas de cartão, por exemplo) tiveram queda de 2,3%. Em janeiro, o setor perdeu 336 mil acessos IoT, totalizando 42 milhões de linhas.

A líder do segmento, Vivo, fechou o primeiro mês do ano com 15,9 milhões de acessos – após adicionar 27 mil novos chips M2M e PoS. Já a Claro encerrou o mês com 14,7 milhões (com 250 mil a menos) e a TIM, 5 milhões (-10 mil).

A Datora teve aumento de 53 mil novos acessos na base IoT e alcançou 2,4 milhões de linhas. A Algar perdeu acessos em janeiro e encerrou o mês com 2,8 milhões de acessos, após redução de 19 mil. A queda foi puxada pelas conexões PoS, que não param de cair na empresa desde janeiro do ano passado.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile