Mais de 30 redes LPWA já foram lançadas no mundo, diz GSMA

A associação global de operadoras móveis GSMA voltou a mostrar durante a MWC 2017 nesta quarta, 1º, apoio à tecnologia de baixo consumo e área ampla (LPWA, na sigla em inglês) para Internet das Coisas (IoT). Trata-se de um formato que é mais eficiente com energia, consegue maior cobertura e, especialmente para as teles, utiliza espectro licenciado, seja com redes LTE-M, NB-IoT ou mesmo a de cobertura estendida de 2G (EC-GSM-IoT). As especificações do LPWA foram completadas pelo 3GPP em junho de 2016 no Release 13 e, de acordo com a entidade, um ecossistema de mais de 60 empresas, entre operadoras e fornecedores, também apoiaram o padrão, sendo que mais de 30 redes já foram lançadas.

O diretor de novas soluções e negócios de IoT da Telefónica, Andres Padilla, diz que a companhia acredita na aplicação de LTE-M e NB-IoT de acordo com cada caso e país, com seu respectivo relevo. A companhia utilizou o primeiro tipo na capital espanhola Madri, em colaboração com Ericsson, Gemalto e Sierra Wireless. Já na América Latina, a empresa utilizou NB-IoT para medidores de água inteligentes no Chile, com fornecedores Huawei e Kamstrup. "Já completamos a primeira fase do teste no ano passado, estamos na segunda fase agora com o lançamento comercial na cidade de Santiago", declara.

A Telefónica espera no segundo e terceiro trimestres lançar LPWA em mais mercados europeus, incluindo Alemanha. "Isso é apenas parte de uma atualização regular de nossas redes, a IoT não será uma mudança dramática na atualização de ativos", explica Padilla. Ele ressalta, contudo, que ainda são necessários ajustes, mas acredita estar trabalhando na direção certa. "LPWA vai mudar as regras das conexões para dados e da nossa posição na cadeia de valor, reconsiderando arquiteturas de redes", diz.

O diretor de pesquisa e desenvolvimento da Vodafone e chair do NB-IoT Forum da GSMA, Luke Ibbetson, diz que a Internet das Coisas na operadora apresentou crescimento de 29% na receita no ano passado, contando com 50 mil conexões – provavelmente incluindo também na conta os acessos máquina-a-máquina (M2M). Desse total, 800 mil são de automóveis. No laboratório da Vodafone, 43% dos 83 desenvolvedores de dispositivos são voltados a utilities, enquanto 12% são para smart cities, 16% para sensores e controle e 10% para rastreamento. A empresa lançou NB-IoT em seis cidades espanholas: Madri, Málaga, Sevilha, Valência, Barcelona e Bilbao. "Expandiremos o lançamento da tecnologia também na Irlanda, Holanda e Turquia em 2017", revela. Outras empresas que apresentaram casos com LPWA foram a SK Telecom (Coreia do Sul), a Deutsche Telekom (Alemanha) e a Verizon (EUA).
* O jornalista viajou a Barcelona a convite da FS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.