Brasil perde 13,8 milhões de linhas móveis em 12 meses

O número de linhas da telefonia móvel em janeiro ficou em 243,4 milhões, com queda de 5,38% na comparação com mesmo mês de 2016. Nesse período, 13,8 milhões de celulares foram desabilitados em função da crise econômica e da redução das tarifas de interconexão, na avaliação da Anatel. Entre as tecnologias em uso, apenas a LTE (4ª geração) teve avanço de 130,99%.

A Oi apresentou as maiores perdas nos 12 meses analisados, de 5,8 milhões de linhas ou recuo de 12,2%. A Claro perdeu 4,8 milhões de assinantes (-7,48%) e a TIM desabilitou 4,1 milhões de linhas (-6,10%). Já a Vivo teve avanço de 628,8 mil habilitações, alta de 0,86%.

Entre dezembro de 2016 e janeiro deste ano, a queda de linhas móveis habilitadas foi de 0,27%, com decréscimo de 647,7 mil acessos. A TIM e a Oi foram as operadoras que perderam clientes nesse período. No caso da operadora italiana, o decréscimo foi de 596,1 mil linhas móveis e a Oi, 182,1 mil.

Notícias relacionadas

Os estados que apresentaram maiores reduções no número de linhas móveis nos últimos 12 meses foram registradas em São Paulo com menos 2,6 milhões, em Pernambuco com 1,2 milhão e Minas Gerais com 1,2 milhão. Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, Rio de Janeiro apresentou redução de 120, 2 mil linhas seguido por São Paulo com menos 68,2 mil e Rio Grande do Sul com menos 58,3 mil.

Nos últimos doze meses, os acessos pré-pagos sofreram queda de 10,88%, redução de 20 milhões de linhas móveis. Já os pós-pagos tiveram um aumento de 6,17 milhões de linhas (8,41%).

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.