Neoenergia inicia modernização de redes de comunicação no Nordeste

O grupo do setor elétrico Neoenergia anunciou uma modernização de sua rede de comunicação como preparativo para as smart grids. Com duração prevista de três anos, o projeto de implementação da tecnologia MPLS (Multi-Protocol Label Switching) terá início em distribuidoras de Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Essa primeira etapa deve ser concluída no fim de 2021 e abarcará a Celpe, no trecho entre Recife e Caruaru, e a Cosern, na Região Metropolitana de Natal. Nas fases seguintes, as demais distribuidoras da Neoenergia (Coelba e a Elektro) também serão beneficiadas. As duas empresas operam na Bahia, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Segundo a companhia, a adoção do MPLS prepara terreno para expansão do modelo de smart grids (ou redes inteligentes). "O protocolo MPLS é a tecnologia mais moderna em transporte de dados e com ela vamos preparar nossas distribuidoras para a gestão do sistema energético no modelo DSO (Operadora do Sistema de Distribuição)", afirmou o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.

Notícias relacionadas

Dessa forma, a empresa poderia gerenciar redes elétricas e novos serviços para clientes, permitindo a integração da geração distribuída, de veículos elétricos e outras aplicações de Internet das Coisas (IoT). "Conseguiremos nos transformar em um provedor de serviços dentro da companhia, com diferentes tipos de tráfego e qualidade de serviço", classificou o supervisor de telecomunicações da Neoenergia, Victor Aragão.

Volume

A empresa também destaca que o MPLS já é utilizado nas redes das maiores operadoras de telefonia do País. Adequada para o tráfego de grandes volumes de dados, a tecnologia pode aumentar o tráfego em até 10 vezes frente aos protocolos usados pela Neoenergia atualmente, passando de 1 para 10 gigabits por segundo.

As quatro distribuidoras do grupo atendem 14 milhões de clientes nos cinco estados onde atuam. Em 2020, a companhia já havia aprimorado sua infraestrutura de telecomunicações após implementar uma rede privada de LTE no interior de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.