OUTROS DESTAQUES
Análise
Base brasileira de celulares fica praticamente estável em setembro
quarta-feira, 31 de outubro de 2018 , 18h54

O mercado brasileiro do serviço móvel pessoal (SMP) ficou relativamente estável em setembro, com redução de 112,5 mil linhas (queda de 0,05%), e total de 234,253 milhões de acessos, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira, 31, pela Anatel. Foi a menor queda desde abril, mas o desempenho foi impactado em especial pela Telefônica, que desconectou mais de meio milhão de SIMcards no mês.

A Vivo foi a operadora que mais perdeu clientes em setembro. Foram 524,8 mil desligamentos somente comparado a agosto, uma redução de 0,70% (no comparativo anual, a queda da empresa foi de 0,17%). Com uma base total de 74,432 milhões de acessos, foi a única a apresentar queda mensal, além da Sercomtel (com pouco mais de mil desligamentos) e da Algar Telecom, que pelo segundo mês consecutivo, não atualizou os dados.

A Vivo desconectou 656,7 mil acessos em 3G e 261 mil em 2G, mas essas tendências não foram diferentes de outras operadoras no mesmo período. A questão é que a companhia adicionou menos linhas LTE do que as demais. Pelo segundo mês consecutivo, entre as grandes, foi a de menor avanço nessa tecnologia.

Na base total, o destaque no crescimento mensal foi da Claro, com 157,5 mil adições líquidas (0,27% de aumento), somando 58,953 milhões de conexões. Em 12 meses, entretanto, houve queda de 2,39%. A TIM adicionou 70,5 mil linhas em setembro (avanço de 0,13%) e totalizou 56,241 milhões de conexões (comparado a setembro de 2017, teve queda de 5,30%). Já a Oi adicionou 61,8 mil acessos, total de 38,906 milhões de contratos (aumento de 0,16%). Em 12 meses, a companhia reduziu a base em 7,17%.

Tecnologias

Somando todas as operadoras, o mercado LTE aumentou 1,916 milhão de chips em setembro (aumento de 1,56%), o menor crescimento mensal líquido desde fevereiro de 2017, quando adicionou 1,789 milhão de linhas. No comparativo anual, a tecnologia ainda apresenta um avanço de 36,21%, no entanto. Ela representa mais da metade (53%) do total brasileiro.

Considerando somente a 4G, a Claro liderou em adições líquidas mensais em setembro, com 758,8 mil acessos a mais (aumento de 2,65%), e totalizou 29,380 milhões de linhas. Em seguida veio a TIM, que adicionou 660,3 mil conexões no mês (avanço de 2,03%), somando 33,112 milhões de chips. A Oi avançou 1,81% no mês (370,8 mil adições), total de 20,808 milhões de acessos; e a líder do segmento, a Vivo, adicionou 116,5 mil linhas, encerrando setembro com 39,806 milhões de acessos.

Por sua vez, a base 3G mostrou uma redução mais modesta também, desligando 1,760 milhão de linhas no mês (redução de 2,70%), totalizando 63,358 milhões de acessos. A tecnologia GSM (2G) caiu 2,25% (596,5 mil desconexões) e encerrou setembro com 25,894 milhões de acessos.

Os acessos máquina-a-máquina (M2M) do tipo Especial (sem interação humana) caiu 1,46% no mês e ficou com 7,926 milhões de acessos. O M2M padrão adicionou 480,2 mil acessos e superou os 10 milhões de contratos.

Modelo

Em relação à modalidade de planos, não houve grandes mudanças na tendência recente do mercado. A base pré-paga perdeu mais de um milhão de linhas no mês (queda de 0,72%), enquanto o pós-pago adicionou 892,2 mil acessos (avanço de 0,94%). Com isso, o mix total brasileiro ficou em 59,07% de pré-pagos e 40,93% de pós-pagos. Vale ressaltar que essa contabilidade divulgada pela Anatel inclui acessos M2M.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top