OUTROS DESTAQUES
Indústria
Capacidade produtiva da indústria eletroeletrônica avança em setembro
terça-feira, 31 de outubro de 2017 , 18h44

De acordo com sondagem da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) divulgada nesta terça-feira, 31, 56% das empresas do setor consultadas indicaram crescimento nas vendas e encomendas no mês de setembro comparado ao ano passado. A entidade diz que foi o maior percentual desde fevereiro de 2014 (quando 61% das empresas afirmaram estar crescendo). Com isso, houve redução de 7 pontos percentuais das empresas que indicaram retração, que agora são 28%. A entidade diz ainda que houve aumento na capacidade produtiva, que avançou 5 p.p. e ficou em 74% em agosto, subindo mais um ponto e chegando a 75% em setembro.

A Abinee diz ainda que houve recuo de 10% para 7% do número de empresas registradas que reduziram quadro de funcionários. E pela segunda vez em três anos, a quantidade de empresas que aumentaram seu quadro de funcionários foi maior, com 14%. No indicador de estabilidade, houve avanço de 9 p.p. somente no trimestre, fechando setembro em 79%.

Com isso, o otimismo do setor ficou aparente no levantamento da Abinee. Para o restante do ano, 60% das empresas projetam crescimento, 16% preveem estabilidade e 24% têm perspectiva de queda na comparação com 2016.

Nem todos os números foram positivos. Houve redução de 38% para 35% no número de empresas que ampliaram exportações. E observou-se também que subiu 4 p.p. o número de empresas que tiveram negócios abaixo do esperado, ficando em 41%. E embora tenha havido "normalidade" nos níveis de estoques (componentes, matérias-primas e produtos acabados), com 70% dos entrevistados, houve aumento de 15% para 19% na quantidade de empresas que falaram em estoque de componentes acima do normal. Houve avanço de 3 p.p. também na quantidade de entrevistados com acúmulo de estoque de produtos finais, ficando em 26%.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top