OUTROS DESTAQUES
HANDSETS
Mercado brasileiro de smartphones cai 25,3% no primeiro trimestre
terça-feira, 31 de maio de 2016 , 16h48

O mercado brasileiro de smartphones caiu 25,32% no comparativo do primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento da empresa de pesquisa Gartner divulgado nesta terça, 31. No total, foram 10,656 milhões de aparelhos. Vale lembrar que a liminar judicial da Abinee que determinou a volta de isenção tributária de PIS e Cofins via Lei do Bem aos smartphones só entrou em vigor em 14 de março e não compensou nesse pouco tempo a alta do dólar no período. Além disso, o Congresso Nacional manteve na semana passada o veto presidencial à isenção aos aparelhos.

Segundo os dados do Gartner, todas as principais fabricantes observaram redução nas vendas menos a BLU Products, que permaneceu em terceiro lugar (com 11,39% de share), mas cresceu 10,11% no período e fechou março com 1,214 milhão de unidades vendidas. A líder continua sendo a Samsung, que apesar do recuo de 15,22% nas vendas (total de 4,495 milhões de aparelhos comercializados), ampliou seu markethsare em 5,03 pontos percentuais (p.p.), ficando agora com 42,18% do mercado.

A segunda colocada, a Lenovo (dona da Motorola), também mostrou recuo no primeiro trimestre: 21,44%, totalizando 2,069 milhões de unidades vendidas. Mas também aumentou sua participação no mercado em 0,96 p.p., fechando março com 11,39%.

Gartner - Smartphones Brasil 1T16

Quem mais se prejudicou em vendas no período foi a sul-coreana LG, que viu sua participação no mercado brasileiro cair 7,31 p.p. e ficar em 9,20%. O recuo no comparativo anual foi de 58,40%, e a empresa vendeu no período 980,5 mil unidades.

Também registrou queda acentuada a norte-americana Apple, que viu suas vendas caírem 39,90% e ficarem em 498,8 mil aparelhos comercializados. A empresa agora tem 4,68% do mercado, 1,14 p.p. a menos do que no primeiro trimestre de 2015. As demais fabricantes registraram juntas 1,398 milhão de aparelhos vendidos, redução de 31,59%. A participação de mercado caiu 1,20 p.p. e ficou em 13,13%.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top