OUTROS DESTAQUES
Faixa adicional: reserva ou direito?
sexta-feira, 30 de novembro de 2001 , 18h53 | POR REDAÇÃO

As operadoras de telefonia móvel não querem comprar agora a faixa adicional, mas também não querem abrir mão dela. Antonio dos Santos explica que as operadoras rejeitaram a obrigação de adquiri-la imediatamente, como previam originalmente as regras de transição do SMC para o SMP. Mas isso não quer dizer que elas não venham a necessitar deste acréscimo de faixa nos próximos anos. "Não se trata de uma reserva. As regras iniciais já tinham incorporado a faixa como um direito das operadoras que migrarem. O cenário econômico mudou, e com ele também as perspectivas de aumento da necessidade de espectro. As empresas não podem mais adquirir faixas a qualquer custo", diz o diretor da Acel.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top