OUTROS DESTAQUES
Internacional
FCC rechaça ideia de uma rede 5G centralizada nos EUA
terça-feira, 30 de janeiro de 2018 , 16h23

O chairman da agência reguladora Federal Communications Commission (FCC), Ajit Pai,  se posicionou contra a possibilidade de o governo dos EUA nacionalizar a infraestrutura de 5G. Esta possibilidade foi cogitada a partir de informações sobre um estudo preliminar de um funcionário do governo dos EUA logo desmentida pela Casa Branca, mas a simples possibilidade deixou muita gente preocupada.

De acordo com um relatório da Agência Nacional de Segurança (NSA) obtido pelo site Axios (e confirmado pelo secretário de imprensa da Casa Branca, Huckabee Sanders, mas classificado como uma iniciativa individual de um assessor e em estágio preliminar), a administração Trump poderia considerar a estatização da infraestrutura para "endereçar a necessidade de uma rede segura". A ideia seria o governo construir uma rede 5G centralizada em três anos que poderia ser alugada para operadoras tradicionais.

O estudo apontava a necessidade de uma rede centralizada e segura para os EUA por conta do avanço da indústria de fornecimento e operação para redes da China, assumindo atualmente uma posição de liderança no mercado com empresas como Huawei e ZTE.

Por sua vez, Ajit Pai foi taxativo: construir uma rede estatal seria "custoso" e uma "distração contraprodutiva". O chairman da FCC acredita que o próprio mercado deveria conduzir os investimentos e a inovação. E criticou a ideia, dizendo que o foco deveria ser na liberação de mais espectro para redes móveis.

"Eu me oponho a qualquer proposta do governo federal de construir e operar uma rede nacional 5G", declara Pai. "O que o governo pode e deve fazer é liberar espectro para o mercado comercial e ditar as regras para encorajar o setor privado para desenvolver e implantar a infraestrutura de próxima geração", completa.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top