OUTROS DESTAQUES
Projetos inviáveis foram a causa do fracasso de espelhinhos
quarta-feira, 28 de novembro de 2001 , 22h59 | POR REDAÇÃO

O superintendente Edmundo Matarazzo justifica o fracasso do projeto das espelhinhos afirmando que houve uma inviabilidade técnico-financeira em algumas das propostas feitas pelas empresas. Muitas delas, diz ele, se propuseram operar em muitas cidades, com densidades muito altas. Matarazzo lembra que o modelo das espelhinhos, com atendimento por municípios, foi escolhido justamente por exigir menores investimentos. A inviabilidade financeira ocorre porque os empresários não dispunham de parte do capital necessário para o investimento. Apesar disto, Matarazzo disse que viu alguns projetos muito bons no BNDES. "São pessoas acostumadas a fazer serviços para condomínios, que têm idéia de preço, sabem operar. Tanto que alguns tiveram seus projetos aprovados".

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top