OUTROS DESTAQUES
Internacional
FCC conclui pela primeira vez em 8 anos que há competição no mercado móvel dos EUA
terça-feira, 26 de setembro de 2017 , 20h10

O órgão regulador norte-americano, a Federal Communications Commission (FCC), aprovou nesta terça-feira, 26, o relatório anual de competição no mercado móvel dos Estados Unidos com uma novidade: pela primeira vez desde 2009, esse setor foi considerado competitivo. Em comunicado, o regulador diz que a afirmação é baseada nas métricas e indicam que há uma "competição efetiva no mercado de serviços móveis". Até então, as edições anteriores (desde o governo George W. Bush) consideravam haver concentração de mercado.

O documento abrange período de 2016 até o começo de 2017 e conduz análise dos dados baseado em metodologia "em geral aceita" para casos de competição. Como exemplo, cita aumento da demanda do consumidor e queda de preços médio, além de melhoria no desempenho, cobertura e capacidade de rede das operadoras.

Entre 2014 e 2016, durante o comando do então chairman Tom Wheeler, o relatório era realizado pelo departamento de telecomunicações móveis (Wireless Telecommunications Bureau). O atual chairman da FCC, o republicano Ajit Pai, determinou que a Comissão retornasse a votar e divulgar o documento. Em comunicado, Pai afirma que as últimas seis edições "evitaram" endereçar a questão da competitividade. Ele justifica que a atual percepção popular é de que há, de fato, "competição acirrada". Alega que a evidência "incontroversa" é que desde 2016, "todas as quatro operadoras nacionais lançaram novos ou melhorados planos ilimitados".

Pai considera que a "resistência" anterior de chegar à mesma conclusão se dá por "ideologia" e por querer impor mais regulação ao mercado. Ele diz que os opositores consideram que a "a realidade da competição efetiva é uma verdade inconveniente que deve ser descontada ou ignorada". E alega que a FCC agora se atenta aos fatos, e não "conclusões".

Impacto em consolidação

Porém, a conclusão do relatório e de Ajit Pai não foi unânime nem na FCC. A conselheira democrata Jessica Rosenworcel criticou duramente o relatório ao dizer que foi falho e apresentou desculpas para não chegar a definições. "Disseram que os segmentos de mercado de upstream e downstream envolvendo equipamentos de rede, sistemas operacionais e aplicações estão fora do escopo, e ainda assim, o núcleo do que é "competição efetiva" permanece indefinido", diz.

Rosenworcel associa o documento às notícias de possível consolidação para duas das quatro grandes operadoras nacionais. Ela se refere a rumores de fusão entre T-Mobile e Sprint, que envolveria excesso de espectro pela regulação norte-americana. O relatório da FCC poderia indicar justamente um caminho para a aprovação da transação em nome do interesse público."Embora a Comissão não deva pré-julgar o que ainda não está à nossa frente, acho que essa agência enterra sua cabeça coletiva na areia ao emitir esse relatório e insinuar um 'continue andando, não há nada a se ver aqui'", diz. Além de questionar os benefícios ao consumidor, ela diz que será necessário explicar como ter menos interessados em futuros leilões de espectro não afetaria o mecanismo de universalização de cobertura (pelas metas). "Essas questões difíceis pairam sobre esse relatório – e não deveríamos ignorá-las", conclui.

A conselheira (e também democrata) Mignon Clyburn também discorda do relatório. "Considere isto: se uma de nossas quatro operadoras móveis nacionais cobre apenas 64% da população rural, isso significa que é provável que 20,5 milhões de pessoas nessas áreas não tenham acesso a todas as quatro provedoras. Então, minha questão é simples: como então a Comissão pode concluir que o mercado móvel é efetivamente competitivo?", questiona Clyburn, chamando a análise de "míope", "truncada" e "falha". Ela critica ainda ao dizer que a Comissão procurou destacar queda nos investimentos entre 2015 e 2016 para apoiar a "falsa narrativa" de que as regras da Open Internet levaram as teles a investir menos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top