OUTROS DESTAQUES
Espectro eletromagnético, radiofrequência, frequência
Espectro
Comitê de espectro dá início aos trabalhos para testes na faixa de 3,5 GHz
quinta-feira, 26 de abril de 2018 , 20h15

Comitê de Espectro e Órbita da Anatel realizou esta semana uma primeira reunião com os atores diretamente interessados na questão da faixa de 3,5 GHz com vistas a encontrar maneiras de abrir esta faixa ao mercado. Participaram do encontro representantes da Abert, Abratel e SET (radiodifusores); Sindisat (satélites), Abinee e fabricantes de equipamentos de recepção de satélite (Century, greatek e Proeletronic). Segundo o conselheiro Leonardo Euler de Morais, coordenador do comitê, decidiu-se agora fazer uma rodada de testes com a participação de todos os setores para avaliar as possíveis interferências de uso de equipamentos 5G que operam na faixa de 3,5 GHz em relação aos serviços de satélite que operam em faixas próximas (banda C). Esta primeira rodada não pretende avaliar questões de mercado, como tamanho da base de banda C no Brasil e possíveis soluções de limpeza da faixa, se for o caso. O local dos testes, possivelmente, será o campus da UFRJ no rio de Janeiro. Segundo Leonardo Euler, o planejamento que está sendo desenhado pelo comitê é para dar condições à Anatel de promover a licitação da faixa no início do segundo semestre de 2019.

Euler de Morais tem uma proposta mais ambiciosa para a licitação. Ele avalia que para reduzir o efeito de uma possível escassez artificial decorrente de uma licitação parcelada do espectro para 5G, talvez fosse interessante à Anatel promover a venda da faixa de 3,5 GHz em conjunto com a faixa de 2,3 GHz mas também com a sobra dos 700 MHz. Isso ainda ampliaria a possibilidade de que o leilão tivesse mais contrapartidas de obrigações, já que seria inviável um leilão arrecadatório com tantas faixas sendo vendidas ao mesmo tempo. Euler de Morais diz que esse é um entendimento pessoal preliminar, não do conselho, que ainda não discutiu a matéria. Vale lembrar que o presidente Juarez Quadros trabalha com outro horizonte: o de licitar a faixa de 700 MHz ainda este ano.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top