OUTROS DESTAQUES
Inclusão
UIT adia prazo para cumprimento de metas de universalização da banda larga
quinta-feira, 25 de janeiro de 2018 , 15h55

A Comissão de Banda Larga da União Internacional de Telecomunicações (UIT) estabeleceu novas metas para inclusão digital de 3,8 bilhões de pessoas – ou seja, metade da população mundial. Na realidade, durante o encontro anual do Fórum Econômico Mundial nesta semana em Davos, Suíça, o que foi decidido foi o adiamento para a promoção da conectividade no mundo. No ano passado, a UIT já havia concluído que as metas para 2020 não seriam alcançadas. Agora, as metas são basicamente as mesmas, mas com novo prazo: 2025.

A ideia é promover a expansão da infraestrutura e do acesso de banda larga para a população atualmente desconectada, em apoio às Metas de Desenvolvimento Sustentável estabelecidas pelas Nações Unidas em 2015. Com isso, a UIT quer que até 2025, as seguintes metas sejam alcançadas:

– todos os países devem ter um plano ou estratégia nacional de banda larga (como o PNBL brasileiro), ou incluir a conectividade na sua definição de acessos e serviços universais;
– todos os serviços de banda larga devem ser economicamente acessíveis nos países em desenvolvimento, equivalente a menos de 2% da renda mensal per capita;
– a penetração deverá alcançar 75% do planeta, sendo 65% em países em desenvolvimento e 35% em nações menos desenvolvidas;
– 60% dos jovens e adultos devem ter o mínimo de proeficiência em habilidades digitais sustentáveis;
– 40% da população mundial deverá usar serviços financeiros digitais;
– e a igualidade de gênero deverá ser atingida em todas as metas.

Vale notar que a UIT não atualizou dados referentes aos investimentos necessários para promover a conectividade para metade do planeta. Em 2016, essa quantia era estimada em US$ 450 bilhões ao longo de quatro anos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top