OUTROS DESTAQUES
Crise da Oi
Grupo de credores da Oi apresenta nova proposta de reestruturação
quarta-feira, 23 de agosto de 2017 , 20h14

Grupos de credores internacionais, que representam R$ 22,6 bilhões da dívida da Oi, emitiram nota no começo da noite desta quarta, 23, anunciando cooperação nos principais termos econômicos para a reestruturação da companhia na Recuperação Judicial (RJ). Em comunicado, os Comitês Diretivos do International Bondholder Committee e Ad Hoc Group of Oi Bondholders; e "a maioria" do grupo Export Credit Agencies (ECAs), representada pela FTI Consulting, dizem ter chegado a um consenso acerca de "certos termos econômicos fundamentais de uma estrutura em comum para a reestruturação da Oi e suas subsidiárias".

O plano da "Estrutura de Reestruturação Conjunta dos Grupos de Credores Oi" contempla o comprometimento de injeção de capital novo no valor de R$ 3 bilhões, inteiramente garantido por "certos membros" do grupo de credores; redução da dívida pela troca de 88% do capital da Oi já reestruturada, levando a uma capitalização de até R$ 26,1 bilhões em bonds; nova estrutura de governança "transparente e profissional"; e resolução considerada "satisfatória"de todas as reivindicações e créditos regulatórios. A proposta sugere ainda pagamentos (recuperação de créditos) equivalentes entre todos os credores financeiros quirografários em relação aos seus respectivos créditos, "incluindo o tratamento igualitário a todos os detentores de bonds". Na avaliação das entidades, trata-se de um modelo que "garante apoio da maioria dos principais grupos de credores" e proporciona uma solução consensual para o reerguimento da Oi.

A nota diz também que o grupo está em discussão com outros credores e partes interessadas da Oi sobre os termos em relação à dívida da companhia. Assim, afirma que isso pode tornar a reestruturação "aceitável" para todas as partes. A proposta não é vinculativa para o grupo de credores e termos, condições, forma e estrutura de implantação estarão sujeitos às condições típicas, incluindo a conclusão de diligência confirmatória, todas as aprovações internas e aprovações de comitês de crédito, negociação e acordo de documentação aceitável, estruturação e implementação dos planos, adoção de mudanças regulatórias e confirmação judicial de planos de reestruturação em todas as jurisdições aplicáveis, incluindo a Holanda. 

O grupo diz que isso é consequência da oposição dos credores ao plano de RJ apresentado pela Oi em 22 de março, além do "fracasso contínuo do grupo Oi" na negociação com os credores. "Os Grupos de Credores da Oi continuam empenhados em discutir os benefícios da Estrutura de Reestruturação Conjunta com a Companhia e outras principais partes interessadas como um caminho viável para implementar uma reestruturação factível que garanta o soerguimento da Oi como uma empresa bem capitalizada que pode prosperar a longo prazo."

Na divisão de créditos, o International Bondholder Committee detém cerca de US$ 2,7 bilhões de títulos emitidos por várias entidades do Grupo Oi. Já o Ad Hoc Group detém cerca de US$ 3 bilhões de títulos. O Cooperating Export Credit Agencies detém aproximadamente US$ 942 milhões em créditos.

COMENTÁRIOS

1 Comentário

  1. Erick disse:

    Avante Oi! um 2018 melhor pra Oi!

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top