OUTROS DESTAQUES
Resultados
Telebras dobra o prejuízo em 2015, para R$ 235,6 milhões
quarta-feira, 23 de março de 2016 , 18h05 | POR LÚCIA BERBERT E SAMUEL POSSEBON

A Telebras fechou 2015 com um prejuízo de R$ 235,6 milhões, o dobro do registrado no ano anterior, de R$ 117,3 milhões. A estatal atribui o resultado ao maior crescimento das despesas comerciais com 44,1%, das despesas financeiras líquidas que passaram de R$ 68,5 milhões em 2014 para R$ 72,1 milhões em 2015, crescimento de 5,3% e da queda observada no Resultado da Equivalência Patrimonial de 84,5%, passando de R$ 150,5 mil em 2014 para apenas R$ 23,2 mil em 2015.

A empresa mostra o avanço da receita com mercadorias, bens e serviços passou de R$ 31 milhões em 2014 para R$ 55 milhões em 2015, mas ainda muito abaixo do ponto de equilíbrio. As receitas totais somaram R$ 68 milhões. Já as despesas administrativas somam R$ 52 milhões.

Em operação desde 2010, o presidente da Telebras, Jorge Bittar, define a empresa como uma "start-up", ou seja, uma empresa iniciante, com fortes demandas de investimento e receitas pequenas. Desde 2010, contudo, a empresa acumula prejuízos de quase R$ 500 milhões e patrimônio líquido negativo em R$ 218 milhões.

A estatal informa ainda no balanço que executou 65,8% do orçamento de investimento aprovado para o ano passado, no valor total de R$ 908,6 milhões.

A Telebras diz que as ampliações e novas implantações de estações de backbone e de estações de atendimento (EA), assim como as 21 redes metropolitanas previstas para 2015, tiveram seu orçamento contingenciado pelo Governo Federal, e assim reprogramado na proposta orçamentária da LOA 2016. A empresa encerrou o ano com 485 contratos comerciais e termos aditivos assinados e mais de 134 Gbps de banda ativada, segundo o balanço. Isso representou um acréscimo de banda de cerca de 340% quando comparado ao ano de 2014.

Ainda em 2015, a empresa concluiu a instalação da antena TCR (Telemetria, Controle e Rastreamento) da Estação de Controle de Brasília do satélite geoestacionário Brasileiro e concluiu o RFP (Request for Proposal) para seleção do fornecedor para construção do cabo submarino entre o Brasil e a Europa. A companhia diz ainda aos acionistas que em 2015 "intensificou sua presença nos órgãos de governo, prospectando oportunidades e construindo projetos", o que, segundo avaliação da empresa, dará resultados comerciais este ano.

COMENTÁRIOS

2 Comentários

  1. Certamente dobramos a meta.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top