OUTROS DESTAQUES
BANDA LARGA
Intervozes quer modelo de investimento do governo em banda larga no decreto de política pública
quarta-feira, 22 de novembro de 2017 , 15h53

A definição de modelos para investimento do Estado em banda larga nas áreas de baixa atratividade econômica é uma das sugestões do coletivo Intervozes à consulta pública da minuta de decreto, que atualiza as políticas públicas para a área de telecomunicações. A entidade cita a possibilidade de realização de leilões reversos, como forma de atingir essas áreas.

A consulta pública, promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, foi encerrada na semana passada, mas as mais de 80 contribuições não foram divulgadas no seu conjunto. O texto proposto vai substituir a três decretos anteriores o 4733/2003, o 7175/2010 (que criou o Plano Nacional de Banda Larga) e o 8776/2016 (Plano Brasil Inteligente, anunciado no final do governo Dilma Rousseff). O foco da nova política é apenas a banda larga.

Outro ponto destacado pelo Intervozes é o estabelecimento de mecanismos que garantam a modicidade tarifária para prestação de serviços essenciais de telecomunicações de forma a garantir o acesso universal, inclusive para a população de baixa renda. E recomenda a inclusão da oferta dos serviços de telecomunicações essenciais em locais de público acesso, disponibilizando os dispositivos eletrônicos necessários para o acesso a tais serviços a todos os cidadãos, no decreto.

A entidade também defende a adoção de dados abertos, modelo de governança multissetorial em programas de inclusão digital, com a participação do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). E sugere que os pedidos de compartilhamento de infraestrutura solicitados por estados e municípios decorrentes de projetos relacionados com políticas públicas de cidades digitais, bem como para interconexão de redes comunitárias, não dependem de análise da prestadora do serviço e devem ser autorizado em prazo de trinta dias pela proprietária da infraestrutura.

As atribuições da Telebras, propostas na minuta do decreto, teve a concordância do Intervozes, especialmente no ponto em que permite à estatal a prestação de serviço de conexão à Internet em banda larga para usuários finais, apenas e tão somente em localidades onde inexista oferta adequada daqueles serviços. A entidade apenas pede que definição dessas localidades, sob a responsabilidade do MCTIC, tenha a participação da sociedade.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor de telecomunicações, discutirá em 2018 os rumos da indústria depois do ciclo de sucesso completado com os 20 anos da privatização do sistema estatal de telecomunicações. A realidade da Internet das Coisas, a chegada da tecnologia de 5G, a necessidade um ambiente mais flexível e dinâmico para os investimentos essenciais a esta nossa etapa e um modelo preparado para o futuro são alguns dos desafios em debate, com presença dos presidentes das principais empresas prestadoras de serviços e provedoras de tecnologias, além de autoridades, reguladores e especialistas.
Em sua edição de número 62, o Painel TELEBRASIL 2018 ganha um dia a mais de debates, com mais espaço e oportunidades para a troca de informações, relacionamento e atualização, tanto para profissionais da indústria quanto para reguladores e formuladores de políticas, que têm acesso gratuito ao evento (mediante inscrição prévia). É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas neste novo ciclo.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
EVENTOS

Evento oficial da Associação Brasileira de Empresas de Telecomunicações, o Painel TELEBRASIL, mais tradicional encontro de posicionamento do setor. É o espaço em que as principais lideranças da indústria marcam posição em relação a estratégias, tecnologias e políticas públicas.

22 de Maio a 24 de Maio
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top