OUTROS DESTAQUES
TV digital
Segundo Ibope, adoção de receptor digital na iminência do switch off analógico é rápida
terça-feira, 22 de agosto de 2017 , 22h00

A adoção de um receptor digital na iminência do desligamento dos sinais analógicos de TV é rápida, aponta o Kantar Ibope. Dora Câmara, diretora executiva do instituto, apresentou na SET Expor nesta terça, 22, alguns dados levantados para dar subsídios ao processo de transição. Segundo ela, o número de domicílios não preparados para switch off cai rapidamente nos três últimos meses do sinal analógico. Em Brasília, 35% não estavam aptos a receber os sinais digitais 3 meses antes do apagão. O percentual caiu para 25%, um mês antes; 5% no dia do desligamento, e 1% um mês após. Hoje, garante, todos os lares da localidade já contam com ao menos um receptor digital.

Em São Paulo, apenas 12% não estavam aptos a receber TV digital 3 meses antes do desligamento analógico. Valor que caiu para 10% um mês antes da data; 3% no dia do desligamento, e 0% um mês depois.

Em Goiânia, pela mesma ordem, o percentual caiu de 21% para 9%, 3% e 1%. Já em Recife a queda foi mais dramática. 3 meses antes do desligamento, o percentual sem receptor digital era de 23%, caindo para 21% um mês antes da data, mas caindo para 2% no dia do desligamento.

Balanço

"A TV é muito importante na vida das pessoas. Elas podem deixar para a última hora, mas ninguém fica sem a televisão", diz Antônio Carlos Martelletto, presidente da EAD, empresa responsável por administrar a migração para a TV digital. Segundo ele, a entidade distribuiu 8 mil kits de recepção digital aos beneficiários em 2015, 500 mil em 2016 e 4 milhões té agosto de 2017. Até o final do ano, outros 2,5 milhões serão distribuídos, totalizando 7 milhões de kits.

Entre os beneficiários, metade dos que demandam o kit e recepção fazem agendamento através da Internet. Ainda assim, a EAD recebeu 1 milhão de chamadas telefônicas em 2015, 3 milhões em 2016 e deve chegar a 25 milhões até o final de 2017.

 

 

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top