OUTROS DESTAQUES
Desistir da compra da Intelig é bom negócio para a BrT?
quarta-feira, 22 de Maio de 2002 , 22h29 | POR REDAÇÃO

Há uma posição cada vez mais comum entre analistas do mercado de capitais de que desistir da compra da Intelig seria um bom negócio para a Brasil Telecom. As versões de que os fundos de pensão tendem a vetar o negócio, inclusive, não são consideradas importantes. Segundo analistas, com apenas 19,9% da espelho, a BrT não teria capacidade de ter uma presença relevante no comando da empresa. Para se valer da sinergia entre as duas operadoras (principalmente no que diz respeito à infra-estrutura de rede) teria que comprar tudo e, na prática, isso só será possível no ano que vem. A BrT teria também que incorporar de imediato – via equivalência patrimonial – os prejuízos da Intelig. O que resultaria em reflexos negativos sobre a lucratividade da operadora local. Nesta quarta, 22, o principal papel da BrT caiu 1,58%, com performance relativamente melhor que a da Telemar (-2,62%) e Embratel (-4,97%).

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top