OUTROS DESTAQUES
Única opção dos sócios da Intelig é vender empresa
quarta-feira, 21 de novembro de 2001 , 22h05 | POR REDAÇÃO

A Intelig sabe que a procura por um sócio estratégico demora. A expectativa de Marshall é fechar um acordo em meados de 2002. O banco UBS Warburg foi contratado para identificar os possíveis compradores e ajudar nas negociações. O presidente do conselho administrativo da Intelig admitiu, entretanto, que a empresa não tem um plano B: "se não conseguirmos um sócio estratégico, teremos que voltar a discutir a possibilidade de injetarmos dinheiro na empresa e de sentarmos à mesa com os fornecedores". A questão que se levanta, então, é até que ponto essa posição dos sócios de não investir mais na Intelig pode afetar os planos da empresa de entrar no mercado de telefonia local a partir de 2002.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top