OUTROS DESTAQUES
Infraestrutura
TIM prevê que 70% das conexões de dados no Rio durante as Olimpíadas serão 4G
quinta-feira, 21 de julho de 2016 , 17h47

A TIM projeta que 70% das conexões de dados no Rio de Janeiro durante as Olimpíadas acontecerão sobre a sua rede 4G. Para efeito de comparação, na Copa do Mundo a participação fora de apenas 10%, pois a tecnologia havia sido lançada recentemente, um ano antes. Em dezembro passado, chegou a 22% e agora em junho, a 40%. O salto durante o megaevento se dará por conta da vinda dos visitantes estrangeiros. Passados os jogos e a partida dos turistas, a participação do 4G deve cair, mas em seguida voltará a crescer ao longo do resto do ano, passando de 50% em dezembro, na estimativa do CTO da TIM, Leonardo Capdeville.

Para se preparar para o aumento dessa demanda, a operadora está reforçando a sua cobertura LTE na capital fluminense. Em comparação com dezembro passado, a quantidade de sites 4G aumentará 47%, passando de 773 para 1.137. E até o final do ano serão mais de 1,3 mil. A rede 3G também está sendo ampliada e subirá de 883 para 1.003 sites entre dezembro passado e agosto deste ano. Até dezembro serão mais de 1,2 mil. 90% dos sites da empresa no Rio estão conectados por fibra óptica.

A região metropolitana do Rio também será beneficiada com a ampliação da cobertura 3G e 4G da operadora. Entre dezembro de 2015 e dezembro de 2016, a quantidade de sites passará de 384 para mais de 500, e a da rede 4G, de 325 para também mais de 500.

Segundo Capdeville, a recente queda do dólar e a volta da isenção de PIS e Cofins (ainda que por decisão judicial passível de ser cassada a qualquer momento) estão contribuindo para a redução do preço dos terminais 4G, o que leva as teles a investirem na ampliação da cobertura. Atualmente, mais de 90% dos aparelhos comercializados pela TIM são 4G.

Roaming

A operadora firmou novos acordos de roaming 4G para receber os turistas que virão para as Olimpíadas. Nos últimos 12 meses, a abrangência desses acordos aumentou de 20 para 60 operadoras, distribuidas por 30 países (um ano atrás eram 18), e que representam 85% dos usuários estrangeiros que acessam a sua rede.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top