OUTROS DESTAQUES
Mercado
Brasil fica em quarto lugar em penetração do LTE na América Latina
sexta-feira, 08 de Janeiro de 2016 , 17h14

A penetração do LTE em 2015 na América Latina atingiu 8,91%, segundo balanço da associação setorial 4G Americas divulgado nesta sexta, 8. O Brasil aparece em quarto lugar no ranking, com 11,65% da população coberta com a tecnologia 4G, atrás de Peru (13,15%), Chile (17,95%) e do Uruguai, que chega a quase metade (48,91%) de penetração.

Justamente por conta dessa disparidade do mercado uruguaio, que consegue altas taxas devido à política de incentivo à infraestrutura de transporte ótico para o backbone e backhaul, a média latino-americana acaba sendo superada por apenas cinco países (além dos quatro primeiros, a Argentina em quinto, com 10,39%). Os demais nove mercados avaliados contam com penetração abaixo da média, conforme o gráfico abaixo.

4G America Latina 2015

A entidade destaca ainda o aumento da penetração com o crescimento acelerado do Peru e da Argentina, já que ambos os países implantaram suas primeiras redes 4G em 2014, logo após leilões de espectro. Por outro lado, ressalta que mercados como Bolívia e México, que implantaram o LTE desde 2012, possuem penetração abaixo da média: 7,67% e 7,17%, respectivamente.

O levantamento da 4G Americas utiliza como fontes agências reguladoras de cada país, consultorias como Ovum, 451 Research e Carrier & Associados e a Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL), entidade das Nações Unidas.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top