OUTROS DESTAQUES
Espectro
Telefônica/Vivo arremata faixa de 2,5 GHz em São Paulo; é a mesma faixa que a empresa já teve quando comprou a TVA
quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 , 17h58

(Atualizada às 21:55) O lote de FDD da faixa de 2,5 GHz em vários municípios de São Paulo, inclusive capital, foi arrematado pela Telefônica/Vivo por R$ 110,2 milhões após disputa em seis rodadas com a TIM e a Claro (a empresa ainda gastou mais R$ 75 milhões pelas outorgas no Rio de Janeiro, Porto Alegre e Palmas). Depois do lote da faixa de 1,8 GHz, em São Paulo, adquirido pela Nextel, este era um dos mais procurado no leilão de sobras, que acontece nesta quinta-feira, 17, na Anatel.

O dado curioso é que essa faixa já foi da Telefônica/Vivo, que no passado pagou valores muito mais altos por ela. O valor pago nesta quinta, 17, pode ser considerado uma barganha. Em 2006, a empresa comprou a operadora de MMDS TVA por R$ 1 bilhão (valor declarado à época), que tinha cerca de 300 mil assinantes de TV por assinatura. A própria empresa dizia, na ocasião, que o grande valor do negócio estava no espectro de 2,5 GHz adquirido, sobretudo nas cidades de São Paulo e Rio (parte do espectro de Curitiba e Belo Horizonte também pertencia à TVA). A Telefônica, contudo, passou os assinantes de MMDS para o serviço de TV paga via satélite ou para a rede de fibra, e nunca usou a faixa para banda larga, ainda que tenha renovado o uso da faixa em 2010 pagando mais R$ 90 milhões (valor questionado na Justiça). Com a licitação da faixa de 2,5 GHz para os serviços de banda larga móvel, a empresa tinha a opção de vender uma parte do espectro (a faixa TDD) para a Sky, mas acabou não o fazendo por não chegar a um acordo e as frequências foram devolvidas para a Anatel.

Além desses dois lotes comprados pela Telefônica/Vivo, outros quatro dos tipos A e B (FDD) foram arrematados na parte da manhã, pela Sercomtel, no Paraná, e dois pela TPA Participações, em Santa Catarina. A Sercomtel pagou ágio acima de 103% e a TPA ofereceu os preços mínimos.

Na parte da manhã do primeiro dia da licitação de sobras, a Anatel havia arrecadado R$ 567 milhões. A expectativa é de que o leilão só termine nesta sexta, 18. Os lotes dos tipos A e B somam 89, porém muitos deles não devem receber propostas. A Anatel deve anunciar os resultados consolidados das propostas recebidas na segunda, 21.

Tipo C

Os lotes do tipo C, apesar de já haver uma lista com os classificados em primeiro e segundo lugar, os vencedores somente serão conhecidos após a comprovação da documentação. Isso deve levar a sessão do leilão para ser continuada na sexta-feira, 18.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top