OUTROS DESTAQUES
Mercado
Vendas de equipamentos de informática e comunicação despencam 25,9% em um ano, diz IBGE
quarta-feira, 16 de dezembro de 2015 , 15h13

Em outubro, o setor de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, despencaram 25,9% no volume de vendas na comparação com o mesmo mês de 2014. É a quarta queda consecutiva e a maior da série histórica dessa atividade. Ainda assim, as taxas acumuladas foram positivas em 0,6% no ano e 1,8% nos últimos 12 meses. Frente ao mês anterior, a queda foi de 9,2%.

Os resultados fazem parte da pesquisa do comércio varejista realizada pelo IBGE e divulgada nesta quarta-feira, 16. Segundo análise do instituto, os últimos resultados negativos nos setores de informática e comunicação refletem não só o quadro de redução de renda real e elevação dos juros, como também, especialmente para informática, um processo de migração dos computadores de mesa para equipamentos de maior portabilidade, tais como tablets e smartphones.

Apesar dessa queda, o volume de vendas no comércio varejista em outubro variou 0,6% frente ao mês imediatamente anterior, resultado que interrompe oito meses de taxas negativas consecutivas, período que o varejo acumulou perda de 6,3%. Nessa mesma comparação, para receita nominal de vendas, o aumento foi de 1,2% frente a setembro. Com esse resultado, a variação da média móvel para o volume mostrou redução do ritmo de queda, saindo de -0,9% em setembro para -0,2% em outubro, e acréscimo de 0,5% para receita nominal, após estabilidade observada desde abril de 2015.

Nas demais comparações (séries sem ajuste sazonal), o varejo registrou, em termos de volume de vendas, decréscimo de 5,6% em relação a outubro de 2014, sétima taxa negativa consecutiva nessa comparação, porém menos acentuada do que nos dois meses anteriores: setembro (-6,3%) e agosto (-6,9%). Assim, no acumulado dos dez primeiros meses do ano, o comércio varejista recuou 3,6% frente a igual período de 2014. Para os mesmos indicadores, a receita nominal de vendas apresentou taxas de variação de 3,3% sobre outubro/14 e 3,5% no acumulado do ano, respectivamente.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top