OUTROS DESTAQUES
Tributação
Com crise, IR recolhido pelas teles cai 43,12% em outubro, diz Receita
quarta-feira, 18 de novembro de 2015 , 18h32

As operadoras de telecomunicações reduziram o recolhimento de Imposto de Renda ou Contribuição sobre o Lucro Líquido em 43,12% no mês de outubro em relação a igual mês do ano passado, conforme relatório da Receita Federal. O total apurado no mês ficou em R$ 1,5 bilhão ante R$ 2,7 bilhões pagos em outubro de 2014.

A arrecadação da Cofins/PIS-Pasep do setor recuou 24,16% em outubro, na comparação anual. No total, as operadoras recolheram R$ 410 milhões no mês, enquanto em outubro de 2014 esses valores chegaram a R$ 541 milhões.

Já a desoneração para construção de redes com as isenções previstas no Regime Especial de Tributação do Plano Nacional de Banda Larga (REPNBL) cresceu em R$ 6 milhões na comparação entre outubro de 2015 (R$ 91 milhões) e de 2014 (R$ 85 milhões). Entre janeiro e outubro deste ano a renúncia fiscal com esse programa chegou a R$ 906 milhões, ante os R$ 848 milhões de igual período do ano passado.

O relatório da Receita mostra queda na arrecadação em todos os setores, resultante da retração da economia no País e também em função de prováveis atrasos no recolhimento de impostos por parte de empresas que optam por ficar inadimplentes com o governo a comprometerem outras despesas.

Segundo a Receita, a arrecadação federal atingiu o valor de R$ 103,5 bilhões no mês de outubro de 2015 e de R$ 1 trilhão no período de janeiro a outubro de 2015. O desempenho da arrecadação das receitas administradas pela Receita Federal no período de janeiro a outubro de 2015, em relação a igual período de 2014, resultou em uma variação real acumulada, com atualização pelo IPCA, de -3,34%.

 

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top